Notícias | Dia a dia | Australian Open
Qualidade do ar não afeta Federer, Thiem e Kvitova
18/01/2020 às 10h51

Fumaça próxima ao estádio no começo da semana, mas situação já evoluiu, garantem tenistas

Foto: ESPN

Melbourne (Austrália) - Pouco a pouco, a condição do ar em Melbourne parece melhorar e isso tem deixado os tenistas mais relaxados. Em entrevistas dadas neste sábado, o suíço Roger Federer, o austríaco Dominic Thiem e a tcheca Petra Kvitova indicaram não estarem afetados pelo problema.

"Não estou tão preocupado com a qualidade do ar", afirma Federer. "O Conselho dos Jogadores se reuniu com os organizadores e eles nos deixaram muito tranquilos. O índice está em 200, então num nível aceitável. Acho que teríamos problemas se tivéssemos de viver com isso por seis meses, não duas semanas".

Ele no entanto admite que se surpreendeu com a extensão do problema dos incêndios na Austrália. "A situação é muito mais desagradável do que parecia a princípio. Na verdade, não estamos preocupados com os tenistas, mas com as pessoas, os animais, a vegetação perdida, os bombeiros que trabalham 24 por dia. Essa é a parte mais difícil".

Outro que minimizou o problema foi Thiem. O número 5 do mundo disse que houve dias em que o ar parecia muito ruim, mas que ainda assim não estava abaixo do em Pequim. "Lá jogamos com um nível pior do que temos agora em Melbourne. Por enquanto, não senti dificuldade, apenas uma tosse vez ou outra. O ar parece mais limpo agora e torcemos para que os incêndios diminuam e tudo volte ao normal".

Já Kvitova, finalista do ano passado e que sofre de asma, optou por fazer seus dois primeiros dias de treinamento em uma quadra coberta, já que a qualidade do ar estava baixa. "Felizmente, isso não me afetou muito e espero agora ter tempo para me adaptar ao piso aberto. Estou feliz por já ver o céu azul na cidade".

Comentários