Notícias | Dia a dia
Osaka: 'Pensei demais no match point perdido'
11/01/2020 às 18h18

Osaka teve a chance de definir a partida em dois sets, mas não aproveitou

Foto: Divulgação

Brisbane (Austrália) - Eliminada na semifinal do WTA Premier de Brisbane, Naomi Osaka esteve muito perto de conseguir uma vaga na decisão do torneio. A japonesa chegou a ter um match point no segundo set da partida contra a tcheca Karolina Pliskova e revela que ficou pensando demais na oportunidade perdida durante a parcial decisiva.

"Essa partida foi como uma final de Grand Slam, especialmente nos dois primeiros sets", disse Osaka após a derrota por 6/7 (12-10), 7/6 (7-3) e 6/2 em 2h48 de intensa disputa. "Nós duas estávamos sacando muito bem. Obviamente, precisamos de dois tiebreaks".

"No terceiro set, eu estava pensando demais no match point que perdi. E eu joguei tantas partidas de três sets nesta semana que era como se o meu corpo me dissesse: 'Por que você está fazendo isso de novo?'", acrescenta a japonesa, que viu cair uma invencibilidade de 14 partidas e vinha de jogos longos nas fases anteriores do torneio.

Pliskova destaca o lado mental do jogo
Para Pliskova, o aspecto mental da partida fez a diferença. A tcheca salvou 12 dos 13 break points que enfrentou durante a equilibrada partida. As demais estatísticas foram equilibradas. Osaka fez 16 a 15 em aces, e 53 a 52 nos winners. A tcheca errou um pouco menos, 28 vezes contra 37 da rival.

"Foi uma boa partida. Estou especialmente orgulhosa por ter ficado no jogo, porque eu poderia me dar muito mal depois daquele primeiro set tão nervoso e equilibrado", declarou a tcheca de 27 anos. "Mesmo quando ela quebrou meu saque naquele game do 5/5, continuei lutando. Sabia que o set não tinha acabado e fiz um ótimo game".

"Talvez minha energia tenha aumentado um pouco mais e eu também não tinha nada a perder", acrescentou a tcheca de 27 anos. "Eu era mentalmente muito mais forte e talvez fisicamente também. Eu senti que não ia perder o terceiro set".

Pliskova agora se prepara para enfrentar Madison Keys a partir da 1h da manhã (de Brasília) deste domingo. O confronto é inédito no circuito. "Acho que ela é a única jogadora top que eu nunca enfrentei", comenta a tcheca, a respeito do confronto diante da norte-americana de 24 anos e número 13 do mundo.

Keys também venceu de virada
Adversária de Pliskova na final, Keys pregou respeito à rival. "Karolina é uma ex-número 1 do mundo, ela é a rainha dos aces, então será um grande desafio", disse a norte-americana depois de derrotar a canhota tcheca Petra Kvitova por 3/6, 6/2 e 6/3 em exatas duas horas de partida.

"É sempre bom começar o ano jogando bem. No ano passado, comecei a temporada jogando um tênis terrível", complementou Keys, que busca seu sexto título na elite do circuito mundial.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis