Notícias | Dia a dia
ATP indica destaques em challengers da década
29/12/2019 às 10h08

O canadense Felix Auger-Aliassime teve grande precocidade em torneios de nível challenger

Foto: Arquivo

Miami (EUA) - Em sua onda de indicar os principais nomes do tênis masculino no período de 2010 a 2019, a Associação masculina selecionou os grandes feitos em nível challenger. Veja os principais destaques da lista:

Mais jovem campeão
Felix Auger-Aliassime conquistou Lyon, em 2017, aos 16 anos e 10 meses. O canadense também foi o mais jovem a furar um quali (14 anos e sete meses) e a ganhar uma partida.

Três vezes
O italiano Jannik Sinner conquistou foi o mais jovem a conquistar três títulos de challngers, em 2019, feito que apenas Richard Gasquet havia obtido anteriormente.

Por país
Os norte-americanos somaram129 títulos de challenger na década, mas foram perseguidos bem de perto pela Argentina (122). Mais atrás, ficaram França (99), Espanha (98), Alemanha (91) e Itália (90). Em 2016, a Argentina chegou a conquistar 20 troféus com 10 diferentes jogadores.

O veterano
Aos 39 anos e sete meses, Ivo Karlovic foi o tenista de maior idade a vencer um challenger, em Calgary de 2018. Em novembro deste ano, tornou-se o mais velho finalista, aos 40 anos, em Houston.

Pior ranking
Max Purcell era apenas 762º do ranking ao ganhar em Gimcheon, em 2016.

Versatilidade
Grega Zemlja se tornou o único tenista com triunfos no saibro, grama e piso sintético numa mesma temporada, em 2012.

Longevidade
Ao ganhar Monterrey em 2018, David Ferrer registrou a maior distância entre dois títulos de challenger: 16 anos e um mês.

Duração
A final mais longa foi de 3h31 (Devvarman v. Nguyen em Winnetka-2015) e a mais curta levou 43 minutos (Tsonga v. Sela em Cassis-2015).

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis