Notícias | Dia a dia
Além de títulos, Djokovic quer 'deixar um legado'
22/12/2019 às 10h14

Sérvio tenta alcançar as marcas de Federer e Nadal em número de títulos de Grand Slam

Foto: Divulgação

Abu-Dhabi (Emirados Árabes) - Vice-líder do ranking mundial e vencedor de 16 títulos de Grand Slam, Novak Djokovic afirma ter objetivos que vão além de conquistar vitórias ou troféus. O sérvio revela que uma de suas metas é tentar construir um legado e fazer a diferença na vida das pessoas, especialmente das crianças. Ele também explicou que trabalha com metas diárias, mensais e anuais para se manter motivado.

"Você precisa se abastecer constantemente de uma fonte, seja ela qual for", disse Djokovic, depois de encerrar a série de exibições de Abu-Dhabi com vitória por 7/5 e 6/3 sobre o russo Karen Khachanov. "Acho que eu sempre soube encontrar esse objetivo e uma razão para jogar. Para mim, especialmente nos últimos dois anos, não se trata apenas de ganhar partidas ou troféus".

"Tinha que ser algo maior do que minhas próprias realizações. Algo que estaria relacionado ao legado e que realmente inspiraria a vida de outras pessoas, principalmente das crianças", acrescentou o experiente jogador de 32 anos e ex-número 1 do mundo.

Djokovic está na luta para se tornar o maior vencedor de Grand Slam na Era Aberta do tênis masculino e persegue as marcas de seus principais rivais. Um ano mais velho, Rafael Nadal tem 19 conquistas. Já Roger Federer, com 38 anos, acumula 20 troféus em torneios deste porte.

"Quero quebrar meus próprios recordes e superar meus próprios limites e isso é algo que me dá ânimo para competir", afirmou o sérvio. "Adoro jogar tênis e por isso gosto de estar nas quadras de treino. Mas o tênis competitivo é diferente. Para ser um tenista profissional e competir no mais alto nível, você realmente precisa de objetivos, sejam eles diários, mensais ou anuais".

"Então, eu tenho essas metas, como todo mundo. É claro que estou ciente do privilégio de tentar fazer história e poder conseguir coisas ainda maiores. Isso é algo que me motiva, é claro, mas fica ao lado de outras coisas", complementou Djokovic, que terá agenda cheia no começo de 2020. Ele disputa a ATP Cup e o ATP 250 de Adelaide antes de atuar no Australian Open.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis