Notícias | Dia a dia
Federer: 'Não preciso parar ganhando algo grande'
20/12/2019 às 15h14

Basileia (Suíça) - Assunto recorrente nas entrevistas de Roger Federer, a aposentadoria voltou a aparecer em uma conversa do suíço com o Tennis.com. O atual número 3 do mundo disse que não precisa esperar por uma grande conquista para resolver parar e explicou que a decisão de pendurar a raquete é algo muito pessoal e que vai muito além apenas dos resultados.

“Não acho que tenho que me aposentar ganhando algo importante, isso não muda nada. Estou ouvindo há quase uma década que estou nos últimos anos da minha carreira, por isso não é algo para me preocupar. Talvez um dia eu acorde e sinta que chegou a hora ou ainda possa ter anos pela frente”, afirmou o tenista da Basileia.

“Devo gastar minha energia para permanecer em forma e conseguir dar meu máximo, não posso dizer nada sobre minha aposentadoria porque eu mesmo não sei”, complementou Federer, que também falou sobre as dificuldades de encarar uma pré-temporada agora com seus 38 anos. “Estou parado há duas semanas e o choque físico do treinamento novamente é muito forte”, observou.

Federer também contou que a dinâmica de seus treinos nesta fase é bem diferente de anos atrás. “Agora alterno um pouco de intensidade com pausas de dois dias, pois meu corpo precisa de dias para descansar. Meu treinamento dura menos, mas é de ótima qualidade, não hesito em dar tudo em cada sessão, pois sei que então terei tempo de recuperação”, falou o suíço.

A derrota na final de Wimbledon deste ano, quando deixou escapar dois match-points contra o sérvio Novak Djokovic, foi outro tema abordado pelo suíço mais uma vez. “O que aconteceu em Wimbledon não foi fácil de lidar, mas estou preparado para continuar”, disse Federer, que já tem metas traçadas para o próximo ano.

“Não posso dizer que não tenho uma grande ambição de conquistar meu 21º Grand Slam. Meu principal objetivo é vencer Wimbledon e também ficaria muito feliz com o ouro olímpico em Tóquio 2020”, finalizou o medalhista de prata em simples nos Jogos de Londres, em 2012, e de outro nas duplas nos Jogos de Pequim, em 2008.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva