Notícias | Dia a dia
Medvedev tenta rechaçar o rótulo de bad-boy
28/11/2019 às 11h12

Moscou (Rússia) - Sensação do segundo semestre no circuito masculino, Daniil Medvedev chegou a disputar seis finais seguidas, conquistando nesse período três títulos. Vice-campeão do US Open, o russo chegou a figurar na quarta colocação no ranking da ATP e fechou a temporada no quinto lugar. Em entrevista ao Sport Express, ele fez um balanço da temporada e destacou alguns pontos altos.

O principal deles foi justamente a sequência entre o final de julho e o começo de outubro, vencendo 29 jogos e perdendo só três. “Poucos jogadores no circuito conseguiram fazer o que eu consegui nesses três meses de competição. Foi algo espetacular do qual me sinto muito orgulhoso. Sem dúvida é o resultado de um intenso trabalho nos últimos dois anos e meio”, falou o russo.

Medvedev também lembrou da polêmica que encarou no US Open depois de ser ríspido ao retirar a toalha das mãos de um dos boleiros. “Encarar o público é feio e entendo que não valia a pena tirar uma toalha das mãos de um boleiro daquela maneira. Depois do jogo, pedi desculpas a ele”, disse o atual número 5 do mundo, que tenta rechaçar o rótulo de bad-boy.

“Não estou ofendido pelo fato de alguns fãs me criticarem ou até me insultarem depois do jogo. Não acho que seja realmente assim e não gosto de ser considerado como um bad-boy. Se nos próximos cinco anos eles ainda tiverem essa opinião, infelizmente não vou poder fazer nada”, observou o tenista de 23 anos.

Leia mais: Medvedev leva multa de US$ 9 mil após alvoroço

O russo também explicou a comemoração comedida durante a campanha em Nova York. “Decidi não comemorar minhas vitórias no último US Open, mesmo que as partidas fossem difíceis e contra os melhores tenistas do mundo. Obviamente estava muito feliz por dentro. Acho que isso pode parecer um pouco arrogante, mas não é a intensão, apenas gostei muito da ideia e tentarei segui-la".

Por fim, Medvedev analisou brevemente seu estilo de jogo. “Sou muito sólido no fundo de quadra, meu jogo é praticamente baseado no contra-ataque e tento me adaptar ao jogo agressivo do meu oponente. Quando disputo partidas em que meu adversário é tecnicamente melhor, e ele bate mais forte e confiante, para mim isso é ainda melhor”, encerrou o russo.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis