Notícias | Top Spin
Berrettini surpreende garoto sobrevivente de câncer
16/11/2019 às 18h33

Londres (Inglaterra) – Um garoto inglês de 13 anos, Darwin Hutchinson, fã de tênis, ganhou um presente inesquecível do italiano Matteo Berrettini, nº 8 do mundo, e do espanhol Rafael Nadal. Darwin, que mora em Yorkshire, sobreviveu a um câncer ósseo que atingiu a pélvis, a coluna e os pulmões, depois de se submeter a um ano de quimioterapia e 30 sessões de radioterapia. Darwin pensou que estava indo para a O2 Arena a fim de participar de evento do Centro de Pesquisa Britânico sobre o Câncer e contar sobre sua experiência.

O garoto, que cresceu vendo e jogando tênis tinha apenas 4 anos quando teve de se submeter ao pesado tratamento. Quatro anos depois, ele está em remissão e apesar dos efeitos colaterais do tratamento, como uma curvatura na coluna, escoliose e uma perna mais curta que a outra, Darwin continua jogando tênis e faz crossfit, tendo competido no verão com o time juvenil britânico.

Durante uma volta pela arena, Berrettini o convidou para vir e bater bola com ele na quadra central. A surpresa não parou aí e Darwin também teve a chance de se encontrar com seu tenista favorito, o número 1 do mundo Rafael Nadal. “É sempre bom encontrar os fãs, mas eu curti de forma especial este encontro com Darwin hoje. Ele teve de passar por muita coisa ainda muito jovem e ver seu rosto quando o convidei para jogar foi ótimo. Ele é uma inspiração para nós e acho que ele tem um futuro brilhante no tênis pela frente!”

Darwin ficou encantado com a experiência. “Não acredito que encontrei o Matteo hoje. Adoro tênis e ele é um dos melhores, então, é fantástico poder dizer que joguei com ele! É um sonho realizado!”, comentou o garoto inglês. “Era muito jovem quando fui diagnosticado com câncer, passei por muita coisa, mas não deixei isso acabar com meus sonhos. Vou acompanhar o torneio esta semana e um dia adoraria também jogar aqui!”

Angela Hutchinson, mãe de Darwin, disse: “Ele não tinha ideia da surpresa e vê-lo com Matteo foi maravilhoso. Quando ele foi diagnosticado, ele mal podia andar, mas ele foi incrivelmente forte e jogar tênis realmente o ajudou a ganhar força e confiança para se recuperar. Ele nunca reclama nem usa a doença ou os efeitos colaterais como desculpa. Não poderia estar mais orgulhosa de suas conquistar e do quão longe foi.”

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis