Notícias | Dia a dia | ATP Finals
Para Federer, desempenho no saque foi decisivo
14/11/2019 às 21h48

Federer conseguiu vencer Djokovic pela primeira vez desde 2015

Foto: Divulgação

Londres (Inglaterra) - Garantido na semifinal do ATP Finals, Roger Federer acredita que o bom desempenho nos games de saque foi fundamental na vitória sobre Novak Djokovic pela última rodada da fase de grupos. Federer disparou doze aces, não teve o serviço quebrado, enfrentou apenas um break point e venceu 81% dos pontos com seu primeiro saque.

"As estatísticas de saque são a chave para fazer um jogo equilibrado com ele ou derrotá-lo. Fiz isso em Paris no ano passado e também fiz isso na final de Wimbledon. Na verdade, eu quase não tive o saque quebrado nessas partidas e novamente hoje à noite", disse Federer, após a vitória por 6/4 e 6/3 sobre Djokovic. Durante o primeiro set, o suíço só perdeu três pontos no saque.

"Também foi importante ter bom aproveitamento na bola que vem logo depois do saque", avalia o suíço. "Além disso, fui capaz de produzir boas devoluções. Acho que eu realmente devolvi muito bem o saque dele hoje", complementou o veterano de 38 anos, que conseguiu três quebras de serviço no jogo desta quinta-feira.

Esta foi a primeira vitória de Federer sobre Djokovic desde 2015. O sérvio vinha de cinco triunfos seguidos e ainda lidera o retrospecto por 26 a 23. "Acho que eu tive um plano de jogo claro e que funcionou perfeitamente esta noite. E espero que não seja a última vez contra o Novak. Mas, mesmo que não, hoje já valeu a pena. Foi uma ótima apresentação da minha parte".

"Eu não me lembrava que estava há tanto tempo sem ganhar dele. Foram os jornalistas que me avisaram disso. Talvez porque eu estivesse muito perto de vencê-lo em Paris e em Wimbledon. Só então que eu percebi que nunca havia ganhado dele desde a minha cirurgia no joelho", comenta o suíço, que operou o joelho esquerdo em fevereiro de 2016, ano em que disputou apenas sete torneios.

A vitória de Federer também serviu para confirmar Rafael Nadal na liderança do ranking até o final do ano. "Tenho certeza de que o Rafa estava assistindo o jogo, mas eu estava focado apenas em fazer um bom torneio. Eu sabia que havia muito em jogo para o Novak. Se ele não tivesse vencido Wimbledon, certamente não teria conseguido lutar pelo número 1 até agora. Ele me venceu na final de Wimbledon e por isso estava tão perto", lembrou o suíço, que teve dois match points contra o sérvio na final do Grand Slam londrino.

"Rafa também teve uma ótima temporada. Estou feliz por vencer jogos contra eles neste ano, mas ambos merecem um ranking melhor que o meu", comenta o atual terceiro colocado. "Hoje foi um bom dia para o tênis, não apenas por causa do nível da partida ou porque eu ganhei do Novak, mas porque o número 1 estava em jogo. A atmosfera em quadra foi ótima. Estou muito satisfeito com meu desempenho".

Comentários