Notícias | Dia a dia | ATP Finals
Federer volta a vencer Djokovic após 4 anos e faz semi
14/11/2019 às 18h25

Federer não vencia Djokovic desde o ATP Finals de 2015 e conseguiu apenas sua terceira vitória nos últimos doze jogos

Foto: Arquivo

Londres (Inglaterra) - Depois de levar a pior nos últimos cinco duelos, Roger Federer encerrou um jejum de vitórias contra Novak Djokovic e conseguiu superar o rival pela primeira vez em quatro anos. O suíço venceu um confronto decisivo pela última rodada da fase de grupos do ATP Finals e garantiu vaga na semifinal em Londres. Nesta quinta-feira, Federer marcou as parciais de 6/4 e 6/3 contra Djokovic em 1h13 de partida.

A última vitória de Federer sobre Djokovic havia acontecido em 2015, também durante a fase de grupos do Finals. Naquela mesma semana, o sérvio daria o troco ao vencer o rival na final do torneio. Desde então, Djokovic só venceu. A série invicta conta com jogos no Australian Open de 2016, nos Masters 1000 de Cincinnati e Paris do ano passado e na final de Wimbledon deste ano. Djokovic ainda lidera o histórico de 49 jogos por 26 a 23, e venceu nove dos últimos doze encontros.

Classificado na segunda posição do Grupo Bjorn Borg em Londres, atrás de Dominic Thiem, Federer enfrentará na semifinal o primeiro do Grupo Andre Agassi. O grego Stefanos Tsitsipas já está classificado, mas ainda não confirmou a liderança da chave, podendo ser ultrapassado por Rafael Nadal. O alemão Alexander Zverev e o russo Daniil Medvedev também têm chances de classificação, mas só no segundo lugar do grupo, portanto sem chances de enfrentar o suíço.

A rivalidade entre Federer e Nadal é a terceira maior em número de confrontos na Era Aberta do tênis masculino. São 40 jogos, com boa vantagem para o espanhol, com 24 vitórias contra 16 do suíço. Federer, entretanto, venceu seis dos últimos sete jogos. Na atual temporada, cada um deles venceu uma vez. Já o histórico do suíço contra Tsitsipas, jovem grego de 21 anos e número 6 do mundo, é de duas vitórias e uma derrota.

A vitória de Federer sobre Djokovic também acaba com a chances do sérvio de voltar à liderança do ranking. Com isso, Nadal encerrará o ano como número 1 do mundo. Nas últimas 16 temporadas, 15 terminaram com Federer, Nadal ou Djokovic na liderança, sendo cinco para cada um. O britânico Andy Murray foi o melhor de 2016. De quebra, o suíço impede que o sérvio tentasse igualar dois recordes, um pertencente ao próprio Federer com seis títulos no Finals e outro do norte-americano Pete Sampras, único homem a encerrar seis temporadas distintas na liderança.

Em 17 participações no ATP Finals, Federer segue com apenas uma eliminação na fase de grupos. A única vez em que o hexacampeão não foi, pelo menos, semifinalista aconteceu na temporada de 2008. Já Djokovic, com 12 aparições no torneio, é eliminado precocemente pela quarta vez na carreira. O pentacampeão também havia caído ainda na fase de grupos em 2007, 2009 e 2011.

Suíço foi muito bem no saque e pressionou desde o início 
Federer teve um desempenho impecável no saque durante o set inicial. O suíço disparou oito aces, colocou 82% de primeiros serviços em quadra e cedeu apenas três pontos em seus games de saque. Djokovic salvou dois break points logo no game de abertura, mas não evitaria a quebra dois games mais tarde. O sérvio cometeu duas duplas-faltas no game e o que deixou o suíço bem à vontade para ser agressivo nas devoluções e passar à frente no placar.

Mesmo encarando alguns games longos em seu saque, Djokovic não teria mais o serviço ameaçado até o fim do set. O sérvio também não conseguia encontrar o melhor tempo para as devoluções para tentar empatar a disputa contra o suíço. Federer terminou o set liderando a estatística de winners por 12 a 7 e cometendo apenas um erro não-forçado contra seis de Djokovic.

Logo na abertura do segundo set, Djokovic precisou salvar dois break points. Federer até devolveu bem o saque do sérvio, mas se precipitou nas subidas à rede e na tentativa de atacar o backhand do sérvio. Pouco depois, foi a vez de o suíço ter o saque ameaçado pela primeira vez na partida. Agressivo durante o break point, Federer não permitiu que o rival ficasse confortável durante a disputa do ponto. Na sequência, contou com ótimos saques para manter o game de serviço.

A situação ficou ainda melhor para Federer com uma quebra logo na sequência. Djokovic continuava colecionando erros da linha de base e acabou deixando o suíço mais perto da vitória. Sinalizando um desconforto no cotovelo e já com um semblante negativo, o sérvio tentou forçar mais o saque, sempre no backhand do suíço. Mas Federer continuou muito eficiente nos games de saque para não ser ameaçado. Já no último game da partida, o sérvio errou demais e foi presa-fácil para a vitória de Federer. O suíço liderou a contagem de bolas vencedoras por 23 a 14 e terminou o jogo com apenas cinco erros contra 13 do sérvio.

Comentários