Notícias | Dia a dia
'Lutei o máximo que pude', diz a emocionada Barty
10/11/2019 às 13h40

Barty foi superada nas partidas de simples e duplas neste domingo pelas finais da Fed Cup

Foto: Divulgação

Perth (Austrália) - A derrota em casa na final da Fed Cup foi difícil de aceitar para Ashleigh Barty. Mesmo com o favoritismo e o apoio da torcida em Perth, a número 1 do mundo acabou sendo superada duas vezes neste domingo. Em simples, para Kristina Mladenovic, e em duplas ao lado de Samantha Stosur contra a própria Mladenovic e Caroline Garcia. Com isso, a França acabou conquistando seu terceiro título na competição.

Barty tentava liderar a Austrália ao oitavo título de Fed Cup, o primeiro desde 1974. Nesses 45 anos sem títulos as australianas alcançaram outra nove finais e perderam todas. Grande nome do tênis em seu país, a jovem jogadora 23 anos garante que fez o melhor que pôde para tentar conquistar o título.

"Lutei o máximo que pude. Espero ter deixado minha equipe orgulhosa. E espero ter dado orgulho a todos os australianos, porque lutei com tudo o que me restava", disse Barty após a definição do confronto neste domingo. "Tem algumas coisas que eu gostaria de ter feito de maneira diferente, mas acho que no geral não me arrependo. Foi uma temporada incrível para mim. Dei tudo o que pude por esse time".

Barty enalteceu a campanha da equipe australiana na Fed Cup, já que o time não disputava uma final desde 1993 e espera repetir a dose no próximo ano, quando a competição terá novo formato e será definida já no mês de abril. "Foi uma temporada incrível para nós. Estar na final da Fed Cup é algo muito precioso. Temos que valorizar, porque isso vai nos impulsionar ainda mais para o próximo ano".

A líder do ranking mundial também agradeceu pelo imenso apoio que recebeu das arquibancadas. O público deste domingo foi de 13.842 torcedores. "Jogar na frente de quase 14.000 australianos é incrível. Foi um momento muito especial na minha vida. Acho que a cada confronto de Fed Cup que temos na Austrália, sinto que estamos ganhando cada vez mais atenção e exposição".

"Acho que vocês podem ver o quanto isso significa para todos nós. Obviamente, é decepcionante estar sentada aqui. Eu acho que [essa derrota] vai ser difícil de lidar, porque todas nós esperávamos por esses jogos há seis meses", comenta a australiana, que foi decisiva nos confrontos contra Estados Unidos e Belarus pelas fases inicias da Fed Cup.

"Agora, tenho que descansar, me recuperar e refletir sobre o ano que passou. Mas acho que para todos nós, apenas de um ponto de vista específico da Fed Cup, a jornada em que estivemos é simplesmente notável", complementou a ainda jovem jogadora de 23 anos.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis