Notícias | Dia a dia
Wild admite desgaste, mas celebra boa campanha
10/11/2019 às 08h09

Wild encerrou a temporada no circuito, mas ainda jogará o pré-quali do Rio Open

Foto: Arquivo

Montevidéu (Uruguai) - Superado na semifinal do challenger de Montevidéu, Thiago Wild reconheceu que sentiu o desgaste acumulado durante a partida contra o espanhol Jaume Munar no último sábado. O jovem jogador de 19 anos vinha de dez vitórias seguidas no circuito, com direito a um título em Guayaquil, e venceu 13 dos 15 jogos que fez nas últimas três semanas.

"Estava jogando muito bem até o começo do segundo set, mas dei uma desconectada. Senti o cansaço mental e o Munar passou a ser muito sólido. Foram muitos jogos em sequência que ainda estou me acostumando no circuito profissional", disse Wild após a derrota para Munar, número 98 do mundo, por 3/6 7/6 (7-1) e 6/0.

"Foi um ótimo final de ano, joguei toda a temporada challenger praticamente, aprendendo bastante e conseguindo uma evolução mental, física, técnica e de tática", acrescenta o paranaense, que iniciou o ano apenas no 449º lugar do ranking. Ele aparece desde a última segunda-feira com a melhor marca da carreira, na 235ª posição. Com quatro vitórias no Uruguai, irá se aproximar da 210ª colocação.

Embora não tenha mais torneios que valem pontos no ranking para disputar até o fim da temporada, Wild ainda tem mais um compromisso em quadra. Ele disputará, em São Paulo, um pré-quali para o Rio Open de 2020. A competição começa no dia 26 de novembro.

Treinador de Thiago e do Instituto Tennis Route, João Zwetsch destacou a temporada do jovem jogador. "O Thiago teve um final de ano promissor e com potencial para almejar coisas maiores. Ele teve outros bons momentos durante a temporada, mas nunca de forma tão sólida ser consistente como foi nesse fim de ano. Isso ajuda na confiança e motivação e certeza nele ainda maior pois ele sabe que pode chegar ainda mais longe".

"Ainda falta muito para chegar no primeiro grande objetivo que é o top 100. Agora é outra a transição que ele precisa fazer, de subir de nível. É isso que vamos buscar em 2020, mas com calma, planejamento e humildade no trabalho. Ele está amadurecendo e isso está fazendo ele crescer", complementou o ex-capitão da equipe brasileira da Copa Davis.

Em 2019, Wild venceu 31 jogos em torneios challenger. Ele também conseguiu sua primeira vitória na ATP durante o Brasil Open, em São Paulo, além de também ter conquistado um future no saibro francês. Antes da ótima sequência nos três últimos torneios do ano, tinha como melhor resultado em challenger a chegada às quartas no saibro italiano de Cordenons.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis