Notícias | Dia a dia
França vence 3ª Fed Cup e encerra jejum de 16 anos
10/11/2019 às 06h52

Garcia e Mladenovic voltaram a jogar juntas e superaram Barty e Stosur no jogo que definiu o confronto

Foto: Corinne Dubreuil/FFT

Perth (Austrália) - Horas depois de protagonizarem uma dura batalha pelo terceiro jogo das finais da Fed Cup, Ashleigh Barty e Kristina Mladenovic voltaram à quadra em Perth para a disputa do ponto decisivo nas duplas. Mesmo com o apoio de 13 mil pessoas, que lotaram as arquibancadas, a francesa voltou a comemorar. Mladenovic e a parceira Caroline Garcia superaram Barty e a veterana Samantha Stosur por 6/4 e 6/3 em 1h15 de partida.

A França conquista sua terceira Fed Cup na história, repetindo os feitos de 1997 e 2003. Durante o período de 16 anos sem conquistas, conseguiu disputar uma final em 2016, mas perdeu para o forte time da República Tcheca. Já a Austrália deixa escapar a oportunidade de voltar a vencer a Fed Cup depois de 45 anos. Embora o país tenha sete títulos na competição, o último foi ainda em 1974. Desde então, alcançou nove finais e perdeu todas.

O título da Fed Cup coincide com a volta de Caroline Garcia à equipe. A ex-número 4 do mundo não disputava a competição desde 2016. Naquele ano, ela e Mladenovic jogavam juntas no circuito de duplas e conquistaram um título de Roland Garros, mas a parceria foi desfeita porque Garcia queria focar no circuito de simples e viveu ótima fase entre 2017 e o ano passado. Na época, isso não foi bem aceito por Mladenovic e outras integrantes da equipe. Garcia aparece atualmente no 45º lugar do ranking da WTA e participou de todos os confrontos da Fed Cup desta temporada. A francesa também havia sofrido uma dura derrota por duplo 6/0 para Barty no último sábado.

Já Mladenovic chegou confiante para decidir a Fed Cup. A francesa de 26 anos foi campeã de duplas do WTA Finals na semana passada, jogando ao lado da húngara Timea Babos e terminou o ano como número 2 do ranking mundial da modalidade. Ela venceu 13 dos 15 jogos de duplas que fez pela competição entre países. A equipe do capitão Julien Benneteau ainda contou com Alizé Cornet, Pauline Parmentier e Fiona Ferro.

Tomljanovic chegou a empatar o confronto
Depois que Mladenovic derrotou Barty em três sets e colocou a França em vantagem por 2 a 1 no confronto, as australianas precisavam de duas vitórias para ficarem com o título. Coube a Ajla Tomljanovic, 51ª do ranking, empatar a série e manter as esperanças de título ao superar a francesa Pauline Parmentier por 6/4 e 7/5. Tomljanovic, de 26 anos, defendeu a Austrália na Fed Cup pela primeira vez na carreira justamente nessa final. Ela havia atuado pela Croácia em 2010 e 2011.

Por sua vez, Barty foi a primeira número 1 do mundo a disputar uma final de Fed Cup desde a suíça Martina Hingis em 1998. A jogadora de 23 anos poderia se tornar apenas a 11ª jogadora campeã da competição como juvenil e profissional, já que também havia vencido na categoria até 16 anos em 2011. Ela venceu sete dos nove jogos que fez pela Fed Cup na temporada, sendo decisiva nos confrontos contra Estados Unidos e Belarus.

Francesas começaram atrás no placar
A partida que definiu o título da Fed Cup começou melhor para a Austrália. Garcia teve o serviço quebrado logo de cara e Barty confirmou o saque logo depois deixando as anfitriãs com 2/0. Uma quebra de serviço contra Stosur no quarto game equilibrou as ações. As francesas não enfrentariam mais break points até o fim do primeiro set e conseguiram uma importante quebra no saque de Barty para fecharem a parcial.

A vantagem francesa ficou ainda maior no começo do segundo set. Garcia e Mladenovic rapidamente conseguiram uma quebra e escaparam de três break points logo em seguida, abrindo 3/0 no placar.

Mesmo com ótimas devoluções de Stosur no sétimo game, Garcia conseguiu manter o saque e deixar a França muito perto da vitória, para a alegria da pequena torcida visitante em Perth. No game seguinte, a veterana de 34 anos salvou dois match points no saque e passou a pressão para o outro lado. Mas Mladenovic sacou muito bem no último game da partida e consolidou o título da França na casa das adversárias.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis