Notícias | Dia a dia
Wild cai na semi no Uruguai e encerra temporada
09/11/2019 às 21h15

Wild iniciou o ano como 449º colocado no ranking e está próximo do top 200

Foto: Divulgação

Montevidéu (Uruguai) - Depois de conseguir uma série de bons resultados nos challengers sul-americanos da reta final da temporada, Thiago Wild encerrou o ano com uma derrota na semifinal em Montevidéu. Vindo de título em Guayaquil e de dez vitórias seguidas, Wild foi superado pelo espanhol Jaume Munar, cabeça 5 do torneio e número 98 do mundo, por 3/6 7/6 (7-1) e 6/0.

Wild tentava alcançar a segunda final de challenger de sua carreira profissional e buscava a sexta vitória da carreira contra adversários no top 100. Nas últimas semanas, ele ganhou 13 dos 15 jogos que disputou e levou a melhor em quatro partidas contra rivais entre os cem melhores do mundo. Entre os rivais superados por ele estão o ex-top 20 Marco Cecchinato e o atual número 1 do Brasil Thiago Monteiro.

Depois de iniciar o ano apenas no 449º lugar do ranking, Wild aparece desde a última segunda-feira com a melhor marca da carreira, no 235º lugar. Com as quatro vitórias no Uruguai, ele garantiu mais 29 pontos e descarta apenas três. Dessa forma, irá se aproximar da 210ª posição. Se fosse finalista, faria 48 pontos e ficaria muito perto de entrar no top 200.

Na atual temporada, Wild venceu 31 jogos em torneios challenger. Ele também conseguiu sua primeira vitória na ATP durante o Brasil Open, em São Paulo, além de também ter conquistado um future no saibro francês. Antes da ótima sequência nos três últimos torneios do ano, tinha como melhor resultado em challenger a chegada às quartas no saibro italiano de Cordenons.

Veja como foi a partida que marcou a eliminação de Wild

A primeira quebra de serviço de Wild foi logo no início da partida. Apostando em devoluções muito próximas da linha de base, o jovem de 19 anos pressionou o saque do espanhol e deixou o rival na defensiva. Firme em seus dois primeiros games de saque, o jovem jogador brasileiro rapidamente abriu 3/0, vencendo 12 dos primeiros 15 pontos disputados na partida. Wild conseguiu administrar sua vantagem até o fim do primeiro set, sem enfrentar break points na parcial e cedendo apenas cinco pontos em seus games de serviço.

A vantagem do paranaense aumentou com uma quebra logo na abertura do segundo set. No entanto, Wild não repetia o desempenho que teve no saque durante a parcial anterior e passou a ser mais ameaçado. Ele escapou de um break point no segundo game, mas permitiu o empate por 2/2 minutos depois.

Munar aproveitou a breve queda de intensidade de Wild na partida. No momento em que o paranaense colocou poucos primeiros serviços em quadra e passou a errar com mais frequência, o espanhol voltou a quebrar e chegou a vencer cinco games seguidos para liderar por 5/2. A reação de Wild aconteceu na hora certa. Firme do fundo de quadra e agressivo nas devoluções, ele conseguiu buscar o empate e forçar o tiebreak, mas não aproveitou o bom momento e errou demais no fim do set.

A perda de um set e o melhor momento do adversário fizeram Wild baixar ainda mais sua competitividade na parcial decisiva. Com uma postura bastante negativa em quadra, ele acabou sofrendo duas quebras de serviço seguidas, permitindo que o rival abrisse 4/0 no placar. Nos dois últimos games, fez apenas dois pontos e acabou levando um 'pneu' no último set.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis