Notícias | Dia a dia | ATP Finals
Busca por recordes motiva Djokovic no Finals
09/11/2019 às 16h08

Sérvio tenta recuperar a liderança do ranking e busca o sexto título no Finals

Foto: Divulgação

Londres (Inglaterra) - Cinco vezes campeão do ATP Finals e prestes a estrear em mais uma edição do torneio, Novak Djokovic acredita que a busca por recordes é uma das principais fontes de motivação neste momento de sua carreira. O sérvio de 32 anos e atual número 2 do mundo tenta igualar os seis títulos de Roger Federer no Finals. De quebra, tenta ultrapassar Rafael Nadal para terminar a temporada no topo do ranking pela sexta vez, repetindo o feito de Pete Sampras.

"É uma grande motivação, é claro. Eu amo esse esporte e me preocupo em fazer o melhor que posso. Tentar fazer a história do tênis é uma enorme honra e privilégio. Então, eu me encontro em uma posição privilegiada na luta deste ano pelo sexto título no Finals para igualar a marca do Roger", disse Djokovic, que estreia no Finals neste domingo às 11h (de Brasília) contra o italiano Matteo Berrettini.

Campeão do Masters 1000 de Paris no último domingo, Djokovic iniciou o Finals a 640 pontos de alcançar Nadal no ranking. Para ter chances de tomar a posição do espanhol, o sérvio precisa chegar à final em Londres, com duas ou três vitórias na fase de grupos da competição.

"A liderança está em jogo para nós dois. Este torneio vai decidir isso. Ele está em uma situação melhor, mas eu também me coloquei em uma posição muito boa depois de ser campeão em Paris", explica o sérvio, que perdeu a liderança do ranking para Nadal na última segunda-feira.

"Na minha opinião, as duas maiores conquistas que você pode ter como tenista profissional são vencer um Grand Slam e ser o número 1 do mundo no final da temporada. Mas, para eu estar em posição de lutar pelo 1º no final do ano, entendo que tenho que estar saudável e fazer um bom calendário", complementa o número 2 do mundo, que ainda irá enfrentar Roger Federer e Dominic Thiem pela fase de grupos do Finals.

"Obviamente, isso não depende apenas de mim, depende também de como ele irá no torneio, mas vou tentar me concentrar nas minhas partidas", avaliou. "Este é um torneio que você já precisa começar com uma intensidade muito alta, porque tem apenas os oito melhores jogadores do mundo. Não há como facilitar o seu caminho, você precisa ser muito perspicaz desde o início".

Comentários