Notícias | Dia a dia
Djokovic sonha com liderança e recorde de Sampras
03/11/2019 às 18h57

Paris (França) - Embora tenha conquistado o Masters 1000 de Paris pela quinta vez neste domingo, Novak Djokovic perderá a liderança do ranking na próxima segunda-feira e terá agora que lutar para superar novamente o espanhol Rafael Nadal no ATP Finals. O sérvio não esconde que retomar o número 1 é uma de suas metas neste fim de ano, podendo assim igualar a marca do norte-americano Pete Sampras.

“Obviamente, isso é uma motivação para mim, um dos objetivos mais importantes que posso ter em nível profissional, além de vencer Grand Slams. Chegar ao número 1 é uma das maiores coisas que você pode fazer e tento lutar para ficar lá na ponta o máximo de tempo possível”, afirmou Djokovic, que tenta igualar Sampras e terminar pela sexta vez uma temporada na liderança. “Tenho que esperar por Londres e ver se consigo alcançá-lo”, complementou.

“Em termos de pontos, depois de vencer aqui estou em uma situação melhor, mas devo continuar com essa sequência de vitórias. Eu adoraria vencer todas as minhas partidas em Londres, é algo que conquistei no passado. Gosto muito de ganhar lá, mas é uma tarefa difícil porque também depende dos adversários à minha frente. Todos eles são top 10, então preciso me concentrar nesse objetivo e se eu conseguir será fantástico” falou o sérvio, que precisará descontar 640 pontos em relação a Nadal.

O espanhol inclusive pode sequer dar as caras na Arena O2, já que uma lesão abdominal o impediu de entrar em quadra na semi de Paris. Ele fará mais exames nesta segunda-feira e tentará se recuperar a tempo. “É triste ver que ele está lesionado novamente, não podemos desejar isso a ninguém. Também tive lesões significativas em minha carreira e por isso espero que se recupere e esteja em Londres, porque o torneio não será o mesmo sem ele”.

Dominante com o saque na partida, Djokovic reconheceu o bom desempenho e até brincou com a situação. “Foi o meu melhor jogo com o saque em todo o torneio, por isso foi tudo tão rápido e acabou em apenas dois sets e placar de 6/3 e 6/4. Foi uma das raras vezes que pude me sentir como (Ivo) Karlovic, que tem um saque excelente e que frustra seus rivais com isso. Consegui muitos pontos fáceis, não só hoje mas durante toda a semana. Não perdi um set na campanha”, observou o tenista de Belgrado.

“Mostrei um tênis muito sólido hoje, principalmente no segundo set, contando muito com sua baixa porcentagens de segundo serviço. Tentei variar bastante o jogo para não dar oportunidades. Foi uma das minhas melhores partidas nesta semana. É um privilégio faturar grandes títulos e essa é uma das principais razões pelas quais ainda jogo profissionalmente, para levantar troféus e jogar mais anos no mais alto nível”, finalizou Djokovic.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis