Notícias | Dia a dia
Halep é mais uma a achar lenta a quadra do Finals
30/10/2019 às 13h56

Halep também cita que as condições do piso não são as ideais para o momento da temporada

Foto: Divulgação

Shenzhen (China) - Depois de as tchecas Petra Kvitova e Karolina Pliskova avaliarem como lenta a quadra do WTA Finals, a romena Simona Halep reforçou as opiniões de suas colegas do circuito. A ex-número 1 do mundo também cita que as condições do piso não são as ideais para o momento da temporada em que o torneio é disputado.

"Estamos todas cansadas depois de uma longa temporada. E temos que fazer um trabalho extra nos golpes e nos pontos nesta superfície. Mas é isso o que temos e não vou reclamar", disse Halep, após a derrota por 7/5 e 6/3 para Elina Svitolina nesta quarta-feira. A jogadora de 28 anos tem uma vitória e uma derrota na competição.

"Senti que eu não conseguia terminar os pontos. Essa quadra não é boa para mim e para o meu jogo. É muito macia e, mesmo que você bata forte na bola, não é suficiente para você controlar a direção da bola. E é por isso que eu não conseguia definir os pontos", avalia a romena, que terminou o jogo com 22 winners e 38 erros não-forçados. Svitolina anotou 19 bolas vencedoras e cometeu 25 erros.

Embora tenha sofrido uma lesão nas costas há pouco mais de um mês, durante a disputa do Premier de Wuhan, Halep não tirou os méritos de Svitolina pelo resultado. A ucraniana, que é a atual campeã do torneio, agora lidera o histórico de confrontos contra a romena por 5 a 4.

"Não tenho culpa de ter sofrido uma lesão, mas aconteceu. Fiz de tudo para me recuperar. Minhas costas já estão bem e eu pude lutar até o fim sem sentir dor", explicou a romena. "Na minha opinião, foi uma grande partida. Ela foi superior, e foi por isso que venceu. Jogou bem e não errou. Acho que ela está gostando de jogar aqui, pelo estilo de jogo que tem".

Halep agora se prepara para um confronto direto contra Karolina Pliskova por vaga na semifinal em Shenzhen. A romena lidera o histórico contra a tcheca por 7 a 3. "Nesse tipo de quadra, nós nunca jogamos, então eu não sei o que esperar".

"Será uma partida completamente diferente em relação à de hoje, porque ela tem outro estilo de jogo e bate mais forte na bola. Mas vou focar em mim mesma e nas coisas que preciso fazer, porque eu quero muito vencer e me classificar nesse grupo", explica a romena, que foi eliminada três vezes seguidas na fase de grupos, entre 2015 e 2017. "Esse é meu principal objetivo. Espero que eu me recupere, porque estou um pouco cansada, e jogue melhor que hoje".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis