Notícias | Dia a dia
Agressivo, Federer busca deca em casa e 103º título
26/10/2019 às 13h58

Federer em agora 1.234 vitórias na carreira, apenas 40 atrás do recordista Jimmy Connors

Foto: Arquivo

Basileia (Suíça) - O suíço Roger Federer está diante de outro grande momento na temporada 2019. Ao dominar outra vez o grego Stefanos Tsitsipas, 18 anos mais jovem, com parciais de 6/4 e 6/4, ele se colocou em condições de tentar o 10º título no ATP caseiro da Basileia e o 103º da carreira. A final será às 11 horas deste domingo contra o também garoto Alex de Minaur, australiano de 20 anos a quem jamais enfrentou.

Federer tem números incríveis na Basileia, um torneio de piso veloz e coberto. Chega a 74 vitórias em 83 possíveis, sendo 23 consecutivas. A única vez que perdeu uma semi ali foi para David Nalbandian, em 2002. Esta é sua 13ª final seguida na Basileia desde 2006 (não jogou em 2016 devido a lesão) e a 15ª no total.

Ao atingir a 50ª vitória do ano em 58 jogos realizados, o suíço amplia seu recorde, sendo o único com 17 temporadas na carreira com pelo menos 50 triunfos por ano. Ele já foi campeão em Dubai, Miami e Halle. Na grama alemã, marcou sua 10ª conquista.

Esta será sua 157ª final, a sexta de 2019 - apenas Daniil Medvedev tem mais, com 9 -, tendo sido vice em Indian Wells e Wimbledon. Se chegar ao 103º título, diminuirá para seis a distância para a marca de Jimmy Connors e será o campeão de maior idade desde Ken Rosewall, vencedor de Hong Kong aos 43, em 1977.

Exibição tranquila de Federer
O suíço e o grego entraram em quadra para o terceiro duelo da temporada. Tsitsipas havia surpreendido no Australian Open, após perder o primeiro set, mas poucas semanas depois perdeu a final de Dubai, momento histórico em que o suíço atingia o 100º título da carreira.

Diante de um piso veloz e talvez cansado das rodadas anteriores, Tsitsipas tentou jogar da forma mais agressiva possível, pegando bolas na subida e forçando o saque. Salvou quatro break-points até enfim perder o serviço de forma precoce, ainda no quinto game, e jamais ameaçou o serviço do suíço, que só cedeu cinco pontos com ele em todo o set inicial.

O grego sentiu o baque, cometeu dois erros não-forçados na abertura do segundo set e Federer não desperdiçou a chance de quebra. Bastou então manter o serviço. Apenas duas vezes o grego conseguiu devoluções precisas e assim sair com 0-15. No game final, a dupla falta de Federer ainda lhe deu o primeiro 15-30 e em seguida um break-point. Mas aí Federer recuperou a precisão no saque para concretizar a vitória após 1h18 de esforço. Terminou com 28 winners frente a 18,  11 erros frente a 16.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis