Notícias | Dia a dia
Murray e Wawrinka chegam confiantes para a final
19/10/2019 às 19h59

No último duelo entre Murray e Wawrinka, os dois voltavam de lesão e estavam fora do top 100

Foto: Arquivo

Antuérpia (Bélgica) - Adversários na final do ATP 250 da Antuérpia, Andy Murray e Stan Wawrinka compartilham histórias de retorno ao circuito depois de graves lesões. O britânico passou por duas cirurgias no quadril, a primeira em janeiro de 2018 e a mais recente no início deste ano. Já o suíço operou duas vezes o joelho esquerdo em 2017. Cada um dos dois tem três troféus de Grand Slam na carreira e ambos tentam o primeiro título após a série de problemas físicos.

Murray e Wawrinka se enfrentam a partir das 11h (de Brasília) deste domingo. O britânico lidera o histórico entre eles por 11 a 8. O encontro mais recente foi há pouco mais de um ano, na grama de Eastbourne, quando os dois estavam voltando de lesão e nenhum deles aparecia no top 100. Na ocasião, Murray era o número 156 do mundo venceu Wawrinka, então 225º colocado, em sets diretos.

"Acho que será uma partida agradável de jogar. Eu e Stan já nos enfrentamos muitas vezes. É bom podermos voltar a jogar um contra o outro em uma final", disse Murray, após garantir seu lugar na final. Dono de 45 títulos no circuito profissional, o britânico não vence um torneio desde fevereiro de 2017, em Dubai.

A respeito da vitória de virada sobre o canhoto francês Ugo Humbert na semifinal, Murray comemorou seu desempenho em quadra neste sábado "Estou feliz por estar na final e por conseguir virar o jogo hoje", disse o britânico após a vitória por 3/6, 7/5 e 6/2 em 2h22 de partida. Ele acredita que um game no início do terceiro set foi decisivo.

"Foi difícil, porque ele estava jogando muito bem do fundo de quadra. É claro que foi muito importante vencer aquele game no 6/5 do segundo set, mas o game que decidiu a partida foi o primeiro do terceiro set, quando eu estava com 0-40. Acho que joguei alguns bons pontos e senti que o momento da partida estava bom para mim. Depois que ganhei aquele game, senti que foi isso que me colocou no caminho da vitória", complementou.

Ex-número 1 do mundo e atualmente apenas no 243º lugar do ranking aos 32 anos, Murray vai recuperar muitas posições após o torneio belga em quadras duras e cobertas. Ele já garantiu 150 pontos pela campanha, o que o aproximaria da 150ª posição. Se for campeão, fará 250 pontos e ficaria perto do 120º lugar. No início de outubro, Murray era apenas o número 503 do mundo.

Por sua vez, Wawrinka vem de uma vitória contundente sobre o italiano de 18 anos Jannik Sinner. O suíço marcou as parciais de 6/3 e 6/2 em apenas 65 minutos de partida. "Hoje foi minha melhor partida na semana. Eu estava me sentindo muito bem e confiante no meu jogo. Estou super feliz por estar na final".

Ex-número 3 do mundo e vencedor de três Grand Slam, Wawrinka aparece atualmente no 18º lugar do ranking mundial. O suíço tem 16 títulos na carreira, o último deles em maio de 2017 no saibro de Genebra, e disputará sua 30ª final no circuito. A temporada de 2019 tem sido de recuperação para o experiente jogador, que ocupava apenas o 66º lugar do ranking em janeiro. Ele foi finalista em Roterdã e chegou às quartas em Roland Garros e no US Open.

"Eu estava sem jogar desde o US Open. Então, estar em uma final aqui depois de um mês fora é ótimo para mim. O mais importante é a maneira como estou jogando, a maneira como estou me movimentando e a maneira como me sinto na quadra. Tudo tem sido ótimo".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis