Notícias | Outros
Os 7 erros que todo tenista amador precisa evitar
18/10/2019 às 19h45

TenisBrasil ouviu três dos mais experientes e renomados treinadores do tênis nacional - Mauro Menezes, Patrícia Medrado e Suzana Silva - para saber quais são os erros mais comuns e importantes que o tenista amador precisa corrigir para dar uma salto evolutivo no seu jogo.


Falta de uso do lado não dominante

Para todos os golpes do tênis, o lado não dominante do seu corpo (esquerdo se você é destro e vice-versa) tem uma função muito importante. Na posição de espera, fica no coração da raquete e alivia o braço. No forehand, leva a raquete para trás; no backhand de uma mão, puxa o tronco e termina para o lado oposto ao da raquete. No saque, fica o máximo de tempo lá em cima depois do lançamento. No voleio, mantém a raquete à frente e alta. E no smash, apontar a bola serve como mira e força seu corpo a ficar de lado.


Smash

Até os profissionais erram. O número 1 Novak Djokovic é o mestre em errar smashes fáceis. Normalmente o erro vem da falta de antecipação, mas uma antecipação geral, ou seja, de se posicionar em baixo da bola, já de lado para a quadra (a grande maioria fica de frente para a quadra) e preparar o golpe também antes, já elevando o cotovelo e mantendo a raquete alta esperando o momento de contato.


Bolas moles

Bolas que chegam até o tenista muito sem peso, flutuando levemente na frente do jogador. Isso passa o entendimento errado de ser uma bola de jogada fácil, e é aí que todos acabam errando e jogando esta bola para fora ou na rede! Por ela vir flutuando levemente, é necessário gerar um pouco de spin no contato com a bola. Tenha cautela na força, não gerando toda potência no golpe. E não deixe a bola cair demais, abaixo do nível da rede. Golpeie com margem de segurança e reveja o conceito de que essa bola é fácil.


Lançamento da bola no saque

O movimento do saque já é muito técnico e complexo, mas normalmente o problema do sacador amador é o lançamento da bola (toss, em inglês). A grande maioria lança cada hora de um jeito diferente, ou muito alta, na frente, atrás, baixa, rápida... sempre alternando muito o toss! Temos que pensar que o saque é um golpe de precisão e que o toss tem que ser sempre no mesmo lugar e altura! Treine isso. Importante: não mexa o pé da frente para formar base de equilíbrio. Se sentir que mexeu o pé e perdeu esse equilíbrio, pare e refaça o lançamento.


Split step

Esse termo em inglês define o saltito que o tenista deve realizar a fim de estar em condições de perfeito deslocamento quando acontece o golpe do adversário. O problema do amador é não fazer o split ou então fazê-lo na hora errada. O tempo certo de aterrissagem na quadra é no ponto de contato do adversário com a bola.


Golpe e posição de quadra

O golpe ideal depende muito da posição da quadra em que o tenista está: perto da rede. dentro da quadra, em cima da linha ou dois passos atrás da base. A maioria dos tenistas não conhecem as cinco regiões da quadra e por isso tendem a escolher a jogada incorreta para aquela posição. Cada região da quadra exige uma jogada diferente.


Giro do tronco

Os amadores só levam a raquete para trás para executar o golpe sem o essencial giro do tronco. A preparação desse torção do corpo (tronco e quadril juntos) é importante porque prepara o corpo para a direção da quadra em irá correr. O quanto antes fizer isso, mais rapidamente poderá se deslocar para a bola.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis