Notícias | Dia a dia
Djokovic: 'Não estou feliz com o que apresentei'
11/10/2019 às 11h28

Xangai (China) - Depois de embalar sete vitórias seguidas, o sérvio Novak Djokovic viu sua invencibilidade na temporada asiática ruir nesta sexta-feira com uma derrota de virada para o grego Stefanos Tsitsipas, que eliminou o número 1 do mundo no Masters 1000 de Xangai e se classificou para as semifinais do torneio.

“Comecei jogando em um grande nível, me sentia confortável e via que era eu quem mandava na partida. Só que tudo mudou no segundo e terceiro sets. Não tive consistência suficiente e nem potência nos meus golpes para seguir dominando e permiti que ele ditasse os pontos”, lamentou o campeão de Xangai no ano passado.

“Ele sacou muito bem e não tive chances de quebra, me faltou um pouco de intensidade. De qualquer forma, Stefanos estabeleceu um excelente jogo e merece crédito pela vitória. Foi muito agressivo o tempo todo, seu primeiro golpe após o saque estava excelente. Eu o vejo com potencial para ser o número 1 do mundo no futuro”, acrescentou o sérvio.

Questionado sobre problemas físicos, Djokovic garantiu que este não foi o caso para a derrota. “Estou com tudo em ordem e não tive problemas. É simplesmente um daqueles dias em que você não encontra a inspiração necessária para vencer um grande rival. Não estou feliz com o que apresentei hoje”, disse o líder do ranking.

Com a eliminação nas quartas de final, o sérvio agora corre sério risco de ser ultrapassado pelo espanhol Rafael Nadal e perder o número 1 depois do Masters 1000 de Paris, precisando adicionar um ATP 500 extra no seu calendário para evitar a perda da ponta. Contudo, ele afirma que não deverá mudar os planos e seguirá com o calendário.

“Por enquanto não há nada diferente do previsto anteriormente, jogarei apenas Paris e Londres”, contou Djokovic, que já é o terceiro maior líder do ranking da história da ATP com suas 272 semanas e tem pelo menos mais três garantidas até então.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis