Notícias | Dia a dia
Derrota põe número 1 de Djokovic em grande risco
11/10/2019 às 10h06

Mesmo sem entrar em quadra, Nadal pode herdar o número 1 caso Djokovic não tente um ATP 500 antes de Paris

Foto: Arquivo
José Nilton Dalcim

Mesmo sem entrar em quadra em Xangai ou até mesmo em Paris, o espanhol Rafael Nadal está com enorme chance de recuperar a liderança do ranking antes de o Finals de Londres começar.

Como a ATP tem por regra baixar os pontos do Finals na mesma segunda-feira que retira os de Paris da temporada anterior, Novak Djokovic corre sério risco de perder o número 1 na lista a ser divulgada no dia 4 de novembro, já que ele terá nesse dia que defender os 600 pontos de Paris e também os 600 de Londres.

Para evitar a queda, Djokovic terá de ganhar não apenas Paris como também disputar um dos ATP 500 anteriores, em Viena ou na Basileia. E ainda torcer para que Nadal não vá longe no piso lento e coberto de Bercy.

Lista do Masters de Paris tem 'Big 3' e força máxima

A matemática fica mais simples ao observarmos o ranking da temporada, que conta pontos desde janeiro e estará rigidamente igualado ao ranking de 52 semanas justamente no dia 4 de novembro. Nadal soma hoje 9.225 pontos contra 7.945 de Djokovic, diferença portanto de 1.280 pontos.

Assim, para alcançar Nadal não basta apenas Djokovic ganhar os 1.000 pontos de Paris. Terá ainda de ir pelo menos à decisão de um dos ATP 500 para fazer 300 pontos. E isso sem considerar uma possível boa campanha do espanhol no último Masters da temporada.

Djokovic atingiu na última segunda-feira a semana de número 272 como líder do ranking e terá certamente mais três até o dia 4 de novembro. A expectativa é que ele e Nadal lutem diretamente pela liderança durante o Finals, a menos que o sérvio tenha atuação muito fraca ou que Nadal vença Paris. O Finals de Londres oferece máximo de 1.500 pontos ao campeão e até 1.000 para o vice.

O sérvio tem pontuado o ranking desde o dia 5 de novembro do ano passado, quando substituiu justamente Nadal. O canhoto de Mallorca totaliza 196 semanas como número 1 ao longo da carreira.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis