Notícias | Dia a dia
Ostapenko tem Bartoli como treinadora em Linz
09/10/2019 às 14h35

Ostapenko e Bartoli formam uma parceria de campeãs de Grand Slam em Linz

Foto: Divulgação

Linz (Áustria) - Duas campeãs de Grand Slam uniram forças nesta semana durante o WTA de Linz. A letã Jelena Ostapenko está contando com a ajuda da ex-jogadora profissional Marion Bartoli, que será sua treinadora durante o torneio austríaco em quadras duras e cobertas.

"Somos boas amigas há alguns anos. Então estamos sempre em contato uma com a outra e decidimos unir as forças", disse Ostapenko depois de estrear com vitória em Linz. A jovem letã de 22 anos superou a alemã vinda do quali Tamara Korpatsch por 6/1 e 6/3. Sua próxima rival será a francesa Alizé Cornet.

Bartoli avaliou o primeiro jogo de Ostapenko sob sua supervisão. "Estou muito feliz com o nível dela. Não é fácil fazer uma viagem tão longa, mudando de continente e também de quadra externa para quadra coberta. Ainda mais no fim da temporada, quando as jogadoras já estão cansadas. E acho que ela foi muito bem hoje, fiquei feliz com a movimentação dela, ela fez bons drop shots, a atitude dela em quadra também foi muito boa. Então, fiquei muito animada com essa primeira partida".

Campeã de Roland Garros em 2017, Ostapenko chegou a ocupar o quinto lugar do ranking mundial no início do ano passado. Ainda em 2018, também foi semifinalista de Wimbledon. A atual temporada, entretanto, foi muito aquém das expectativas para a letã, que ainda não conquistou títulos e aparece atualmente apenas na 72ª posição do ranking.

Apesar de poucas campanhas de destaque no ano, Ostapenko ainda comemorou algumas vitórias expressivas. Durante a temporada de grama, derrotou Johanna Konta em Birmingham e Sloane Stephens em Eastbourne. Já no piso duro, bateu Caroline Garcia em Toronto e a número 2 do mundo Karolina Pliskova em Pequim. Também na capital chinesa, foi finalista de duplas ao lado da ucraniana Dayana Yastremska.

Já Bartoli está com 35 anos e encerrou sua carreira profissional em 2013, poucos meses depois de conquistar seu único título de Grand Slam, em Wimbledon. A francesa ensaiou uma volta às quadras no fim de 2017 e até jogou algumas partidas de exibição, mas acabou desistindo da ideia por conta de recorrentes dores no ombro durante os treinos. Desde o ano passado, trabalha como treinadora e chegou a acompanhar a jovem francesa Lucie Wargnier.

Bartoli também já foi comentarista de TV e fez ações promocionais para a WTA e para a Federação Francesa em diversos torneios. Em 2016 passou por um momento delicado em sua vida pessoal. A francesa contraiu um vírus que comprometia sua alimentação e chegou a ser internada depois de uma perda significativa de peso. Já com aparência mais saudável, pôde voltar às atividades normais e chegou a completar a maratona de Nova York.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis