Notícias | Dia a dia | US Open
Andreescu sonha com mais Grand Slam e o número 1
07/09/2019 às 22h50

Andreescu e o técnico Sylvain Bruneau comemoraram o primeiro título de Grand Slam da parceria

Foto: Garrett Ellwood/USTA

Nova York (EUA) - Depois de conquistar seu primeiro título de Grand Slam no US Open, Bianca Andreescu não quer parar por aí. A jovem canadense de 19 anos garante que seu próximo objetivo é aumentar a coleção de troféus e brigar pela liderança do ranking mundial. Há um ano, ela era apenas a número 208 do mundo, e começou a temporada no 152º lugar do ranking. Com títulos em Indian Wells, Toronto e Nova York, debutará no top 5 a partir de segunda-feira.

"Meus objetivos são ganhar o maior número de Grand Slam que for possível e ser a número 1 do mundo", disse Andreescu depois de superar a hexacampeã Serena Williams na final em Nova York, com parciais de 6/3 e 7/5 neste sábado.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A 🌟 has been born 🇨🇦 #WomenWorthWatching

Uma publicação compartilhada por US Open (@usopen) em

Andreescu reconhece que muita coisa passou por sua cabeça antes e durante o jogo e que precisou controlar as emoções. "Eu estava pensando em muitas coisas antes da partida, mais do que em qualquer outro jogo. Era uma final, e contra a Serena. Eu apenas tentei respirar o máximo que pude desde o momento em que acordei até a hora do jogo. Tentei fazer isso durante toda a partida para manter meus nervos no lugar".

O momento mais difícil para Andreescu foi durante a forte reação de Serena no segundo set. A canadense liderava por 5/1 e chegou a sacar para o jogo, mas a norte-americana salvou um match point e ganhou confiança para vencer quatro games seguidos e buscar o empate. "Tive algumas dúvidas, porque já a vi virar sets que ela perdia por 5/0, 5/1 ou 5/2. Ela começou a jogar muito melhor. E acho que a torcida realmente a ajudou também".

"Eu apenas disse a mim mesma que eu deveria seguir minha tática, colocar a maldita bola dentro da quadra e respirar o máximo que pude. Quando ela estava sacando no último game, eu queria ganhar o primeiro ponto, para mostrar a ela que estava pronta para vencer", afirmou a canadense, que explicou o plano tático utilizado.

"Desde o início, a ideia principal era fazê-la jogar, fazê-la trabalhar por cada ponto. Estou muito feliz com a maneira como executei meu plano de jogo. Acho que me saí bem durante praticamente todo a partida", comenta a jovem jogadora, que terminou a partida com 19 bolas vencedoras e 17 erros não-forçados.

Andreescu sequer era nascida quando Serena conquistou seu primeiro título de Grand Slam, no US Open de 1999. A canadense não esconde sua enorme admiração pela norte-americana, que já está com 37 anos, e falou sobre a conversa que teve com Serena após a partida. "Tenho certeza de que não sou a única pessoa que a admira. Ela é uma inspiração para muitas pessoas, e não apenas aos atletas. O que ela faz fora da quadra também é incrível. Ela é realmente uma campeã".

"Acima de tudo, ela é muito gentil. Ela se aproximou de mim no vestiário e me disse algumas coisas muito bonitas, são palavras que eu vou guardar comigo por um longo tempo. Posso dizer que trabalhei duro para ser como ela. Mas quem sabe, talvez um dia possa ser ainda melhor".

Algoz de oito jogadoras do top 10 no ano, a canadense foi perguntada sobre suas semelhanças com Serena. "Penso que existem algumas semelhanças. Gostamos de disputar os pontos mais curtos com o nosso estilo de jogo agressivo e gostamos de utilizar o saque a nosso favor. Acho também que nós duas lutamos muito. Mas, ao mesmo tempo, quero fazer um nome para mim. Sei que tenho um estilo de jogo diferente do que muitas jogadoras do circuito no momento. Ele tem funcionado muito bem. Está trabalhando em minha vantagem. Eu só quero continuar melhorando".

Comentários
Faberg
Roland Garros Series