Notícias | Dia a dia | US Open
Serena busca a virada e vence duelo de gerações
29/08/2019 às 01h07

Após dois sets duros, Serena foi dominante na parcial decisiva

Foto: Divulgação

Nova York (EUA) - Um agitado duelo de gerações do tênis norte-americano encerrou a programação desta quarta-feira pelo US Open. Hexacampeã do torneio e dona de 23 títulos de Grand Slam, Serena Williams encarou um bom teste contra a jovem compatriota Catherine McNally, 121ª colocada. A veterana de 38 anos começou atrás no placar e teve que lutar por 1h54 para vencer a rival de 17 anos por 5/7, 6/3 e 6/1.

A longevidade de Serena em alto nível no circuito e a grande diferença de idade entre as duas jogadoras causam algumas comparações curiosas. O primeiro dos 23 títulos de Grand Slam de Serena, no US Open de 1999, foi conquistado mais de dois anos antes do nascimento de McNally, 19 em novembro de 2001. Naquela data, aliás, Serena estava com 20 anos e já ocupava o sexto lugar do ranking mundial.

Atual número 8 do mundo, Serena ainda persegue o 24º título de Grand Slam. O feito a faria igualar o recorde da australiana Margaret Court, maior vencedora de Grand Slam em todos os tempos. A norte-americana ainda busca o primeiro título no circuito desde que se tornou mãe, há dois anos. Ela já disputou três finais de Slam desde então, duas em Wimbledon e uma no US Open, e também foi finalista no Premier de Toronto, onde abandonou por lesão nas costas

Por conta da constante chuva desta quarta-feira, a partida foi disputada com o teto fechado no Arthur Ashe Stadium e os jogos marcados para as quadras externas foram adiados. Dessa forma, Serena terá um dia de descanso antes de enfrentar sua próxima adversária, que virá do jogo entre a taiwanesa Su-Wei Hsieh e a tcheca Karolina Muchova. Lembrando que Muchova, 44ª do ranking, chegou às quartas de final em Wimbledon e Hsieh, 28ª colocada, já derrotou quatro top 10 no ano.

A jovem americana suportou a pressão por dois sets

Serena começou a partida sacando muito bem. Ela confirmou seus três primeiros games de serviço perdendo apenas um ponto e disparando três aces. Mas com o tempo, McNally foi encontrando meios de pressionar o saque da ex-número 1 do mundo, ora apenas tentando bloquear, ora tentando entrar mais na quadra para supreender Serena. Até chip-en-charge a jovem atleta de 17 anos se arriscou a fazer.

McNally também teve muitos méritos em manter o saque sem correr riscos e esperar por suas oportunidades. Com muitas variações de jogo e sem medo de subir à rede, a promissor atleta norte-americana mantinha a disputa equilibrada. Com o placar empatado por 5/5, Serena fez uma dupla-falta e errou duas bolas bobas. Justamente no break point, McNally agrediu o primeiro saque da ex-número 1 e conseguiu a quebra. Logo depois, a jovem de 17 anos escapou de um 0-40 quando sacava para fechar, salvando um dos break points com um ace e conseguiu definir o set.

O segundo set também foi parelho. Embora não tenha enfrentado break points na parcial, Serena seguia com dificuldades diante das imprevíseis devoluções de saque de sua jovem adversária. Os games costumavam ser longos e McNally não se intimidava em subir à rede sempre que podia. Mas em um game com duas duplas-faltas da jovem rival, Serena sua primeira quebra na partida e a única da parcial. McNally ainda salvou quatro set points quando perdia por 5/2 e confirmou o saque, mas não evitou a perda da parcial. Serena fez que o dobro de winners em relação ao set anterior, de 8 para 17, e reduziu os erros de 15 para 11.

Depois de dois sets definidos nos detalhes, Serena Williams foi Serena Williams no terceiro. Ela rapidamente abriu 4/0 com 16 a 1 no total de pontos e manteve o domínio. McNally conseguiu fazer um game arriscando no saque-e-voleio, mas seguiu sem ameaçar a ex-número 1 do mundo. Serena sequer perdeu pontos no saque durante o último set, conseguiu três quebras de serviço e terminou a parcial com 24 pontos contra apenas cinco de sua adversária. A hexacampeã termina o jogo com 10 aces, liderou a contagem de winners por 31 a 16 e cometeu 28 erros contra 30 da rival.

Comentários