Notícias | Dia a dia
Top 100, Jarry e Dellien são os favoritos para o Pan
24/07/2019 às 17h51

Jarry é o grande favorito no Pan de Lima

Foto: Arquivo

Lima (Peru) - Campeão do ATP 250 de Bastad há dez dias e atual 52º do ranking mundial, o chileno Nicolas Jarry é o grande favorito para ficar com a medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos de Lima, que abre o torneio de tênis na segunda-feira com um prêmio mais do que especial: a vaga direta nas Olimpíadas de Tóquio.

Com 1,98m aos 23 anos, Jarry é justamente especialista em quadras de saibro, o piso escolhido para a disputa em Lima. Ele foi campeão de duplas no Pan de Toronto quatro anos atrás, ao lado de Hans Podlipnik, mas agora optou por jogar mistas com Daniela Seguel.

Outro nome forte no torneio pan-americano será o boliviano Hugo Dellien, 87º do ranking, quadrifinalista do Rio Open deste ano e que andou dando trabalho no saibro para tenistas como Alexander Zverev, Kei Nishikori e Stefanos Tsitsipas.

A Argentina traz um time experiente mas de pouca expressão na ATP, com o atual campeão pan-americano Facundo Bagnis e Guido Andreozzi, que também fizeram a parceria medalha de prata em Toronto.

A Colômbia levará o veterano Santiago Giraldo e o bom Alejandro González; o Equador escalou Emilio Gómez e Roberto Quiroz e os dominicanos terão o bom e velho Víctor Estrella.

Esse conjunto deve dar trabalho ao mineiro João Menezes e ao paranaense Thiago Wild. Enquanto Menezes é 238º no ranking de simples, Wild aparece no 345º.

O torneio feminino parece mais aberto. Com a ausência de Bia Haddad, o favoritismo fica com a paraguaia Veronica Cepede. As chilenas Seguel e Fernanda Brito, a argentina Nadia Podoroska e a norte-americana Caroline Dolehide são outros destaques.

O Brasil terá Luísa Stefani e Carol Meligeni, em simples e duplas. Stefani fará ainda mistas com Demoliner.

Com 14 medalhas de ouro, 7 de prata e 12 de bronze, o Brasil é o quarto país que mais subiu ao pódio pan-americano na história da competição, iniciada em 1951. Os EUA têm 26 ouros, seguidos de Argentina, com 15.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis