Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Djoko: 'Um dos jogos mais exigentes em nível mental'
14/07/2019 às 21h55

Londres (Inglaterra) - Após afirmar ainda dentro de quadra que a final deste domingo foi uma das partidas mais emocionantes que disputou na carreira, o sérvio Novak Djokovic falou durante a entrevista coletiva do campeão de Wimbledon que sua vitória sobre o suíço Roger Federer foi também um dos jogos mais exigentes mentalmente que já enfrentou.

“A final do Australian Open de 2012 foi provavelmente a mais exigente em nível físico, mas esta talvez seja a mais exigente que já tive em nível mental. Consegui manter a calma nos momentos mais importantes e nos três tieberaks joguei meu melhor”, comentou o pentacampeão no All England Club.

“É esse tipo de partida, contra seus maiores rivais, que dá sentido a cada minuto que você passa treinando e trabalhando. Prometi a mim mesmo que manteria a calma em quadra, pois sabia bem a atmosfera que encontraria. Saquei bem durante toda a partida, mas estava com dificuldade para ler o serviço dele”, comentou o número 1 do mundo.

Um dos momentos mais duros para o sérvio aconteceu no quinto set, quando levou uma quebra e viu Federer ter dois match-points com o saque. “Enfrentar Federer é difícil em qualquer superfície, ainda mais sobre a grama. Seu saque é muito potente, ele é muito talentoso e tem um jogo perfeito para essa superfície. Por isso eu precisava ser firme e aproveitar todas as minhas oportunidades”.

Djokovic ainda falou sobre como é enfrentar um público mais favorável ao adversário. “Quando a multidão canta 'Roger' escuto como se fosse 'Novak'. Parece bobo, mas é assim que tento me convencer”, brincou o sérvio, que tenta se inspirar na figura do próprio Federer para seguir jogando o quanto mais tempo conseguir e assim buscar recordes e marcas.

“Roger realmente me inspira com seu esforço e sua idade. Parece que estou chegando perto, mas ele segue ganhando Grand Slam. Um faz o outro querer melhorar e provavelmente é esse o motivo pelo qual chegamos a tal nível”, finalizou o líder do ranking e agora dono de 16 títulos de Slam, quatro a menos que Federer.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series