Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Federer bate Nadal e se candidata ao 9º Wimbledon
12/07/2019 às 15h43

Londres (Inglaterra) - Oito vezes campeão de Wimbledon, o suíço Roger Federer está a uma vitória de igualar o recorde absoluto de títulos do torneio que pertence à tcheca naturalizada norte-americana Martina Navratilova. Na segunda semifinal desta sexta-feira, ele levou a melhor em seu 40º duelo com o espanhol Rafael Nadal, anotando parciais de 7/6 (7-3), 1/6, 6/3 e 6/4, após 3h02 de partida.

Derrotado nos quatro confrontos anteriores que travou com Nadal em semifinais de Grand Slam, o suíço enfim conseguiu vencer. Esta foi sua quarta vitória sobre o canhoto de Mallorca nos Slam, se tornando assim o segundo maior algoz do rival neste nível de torneio. Federer só fica atrás dos seis triunfos obtidos pelo sérvio Novak Djokovic, que derrotou Roberto Bautista na outra semi e será seu adversário na final de domingo às 10h (horário de Brasília).

Federer irá disputar sua 12ª decisão em Wimbledon, igualando as 12 finais de Nadal em Roland Garros. Apenas os dois conseguiram chegar tantas vezes na decisão de um mesmo Slam. Com 37 anos e 340 dias, o suíço se tornará o terceiro mais velho a jogar uma final em um dos quatro principais torneios do circuito e o segundo mais velho na grama do All England Club.

Será também a quinta decisão de Federer no torneio desde que completou 30 anos. Ao todo, ele soma agora 31 finais em Slam. O tenista da Basileia buscará sua 20ª conquista na grama, piso no qual é o recordista de títulos na Era Aberta. Além dos oito troféus de Wimbledon, ele tem 10 em Halle e mais um em Stuttgart.

Veja o que aconteceu no 40º duelo entre Federer e Nadal

A partida começou com amplo domínio dos sacadores até o oitavo game e aí então os devolvedores se soltaram mais e começaram a causar alguns problemas. Mas o único break-point foi em favor do suíço, que se precipitou ao tentar paralela. A definição foi mesmo ao tiebreak e por duas vezes Nadal liderou o placar com saque a favor, mas a partir do 3-2 o suíço devolveu com notável qualidade, o que permitiu a ele ser agressivo e ganhar cinco lances consecutivos.

O segundo set começou completamente diferente, com os dois sacadores bem ameaçados. Federer teve 15-40 logo no segundo mas não conseguiu tirar proveito das trocas mais longas e pagou caro o preço. Jogou seu primeiro game realmente ruim, permitiu 0-30 e aí Nadal capitalizou em cima de seu backhand, saltando para 4/1, e viu o adversário cai muito de produção. Enquanto o espanhol só errou duas bolas, Federer falhou 11 vezes.

O placar tão adverso não mexeu com a cabeça de Federer. Ele voltou para o terceiro set novamente sacando bem. Calibrou as devoluções, deu duas paralelas seguidas e conseguiu enfim a primeira quebra. Encarou em seguida um game duríssimo, em que Nadal fez de tudo para recuperar o placar, mas o suíço conseguiu se sustentar ganhando longas trocas de bola. Nadal ainda ofereceu dois break-points, reagiu bem, mas não evitou que o adversário concluísse o placar com apenas dois erros não forçados no set.

O backhand sólido de Federer nas devoluções voltou a fazer diferença no quarto set e o levaram à quebra logo no terceiro game. Daí para a frente foi uma questão de dominar os nervos, controlar a ansiedade e não abrir oportunidades ao sempre guerreiro Nadal. Com 3/5, espanhol arrumou saques milimétricos para escapar de dois match-points.

E o game final foi ainda mais incrível, com Nadal evitando mais três match-points com contragolpes mágicos e Federer precisando do máximo de sua capacidade emocional e técnica para uma vitória épica. O suíço fechou o jogo com apenas dois erros não forçados a mais do que o rival (27 a 25) e quase 20 bolas vencedoras a mais (51 a 32). Ele ainda anotou 14 aces e bateu o recorde absoluto no torneio de 1397 aces do croata Goran Ivanisevic.

Comentários