Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Sem dores, Serena muda tática e é mais sólida
08/07/2019 às 17h24

Livre de lesões, ela consegue se movimentar melhor e trabalhar mais os pontos

Foto: Divulgação

Londres (Inglaterra) - Vindas de duas ótimas apresentações em Wimbledon e garantida nas quartas de final, Serena Williams elencou as razões para ter elevado seu nível de tênis nos últimos dias. Além de uma melhora natural com o ritmo de jogo, a ex-número 1 se sente finalmente livre de dores. Serena sofreu com lesões este ano, especialmente no joelho esquerdo, e dependia de um jogo muito agressivo. Agora, pode se movimentar melhor em quadra e ter atuações mais consistentes.

"Agora eu posso apenas jogar meu jogo e bater na bola não ter que se preocupar com mais nada. É bom quando sua mente está limpa e você pode simplesmente jogar", disse Serena nesta segunda-feira. "Acima de tudo, sinto-me confiante de que posso realmente me movimentar em quadra e não tenho tentar os winners tão cedo porque sentia com dor".

Depois de ter feito jogos difíceis contra duas jogadoras vindas do quali, a italiana de 31 anos Giulia Gatto-Monticone e a eslovena de 18 anos Kaja Juvan, Serena cedeu apenas sete games à alemã Julia Goerges e somente quatro à espanhola Carla Suárez Navarro, duas ex-integrantes do top 10 do ranking mundial. A veterana de 37 anos conta que o trabalho de recuperação física é bastante intenso.

"É bom que eu não esteja com dor. Faço três horas de tratamento depois de cada treino e de cada partida. Isso é muito difícil. Mas agora eu estou me sentindo muito melhor. Eu literalmente não posso nem dizer o quanto melhor me sinto, isso é um alívio", acrescentou a heptacampeã de Wimbledon e vencedora de 23 títulos de Grand Slam. No ano passado, ela foi finalista da competição.

"Isso é uma vitória em si mesmo, saber que estou me sentindo melhor, não importa o que aconteça. Estou no caminho certo. Finalmente encontrei a solução. Posso ser forte pelo resto do ano", comenta a norte-americana, que agora enfrenta a compatriota Alison Riske, 55ª do ranking e algoz da número 1 do mundo Ashleigh Barty.

Serena também comentou sobre o bom desempenho na vitória por duplo 6/2 sobre Suárez Navaro. "Não foi uma típica vitória por 6/2 e 6/2. A maioria dos games foi difícil. Foram poucos os que foram definidos com 40-0. Sinto que estou ficando melhor e melhor a cada dia. Mas cada partida ainda é super difícil. Acho que todo mundo também está melhorando. Conforme o torneio avança, as melhores jogadoras vão sobrevivendo".

Comentários
Faberg
Roland Garros Series