Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Kerber lamenta 'falta de energia', mas valoriza algoz
04/07/2019 às 19h01

Campeã no ano passado, Kerber não passou da segunda rodada em 2019

Foto: Divulgação

Londres (Inglaterra) - Um ano depois de conquistar o título em Wimbledon, Angelique Kerber amargou uma surpreendente derrota ainda na segunda rodada do Grand Slam britânico. A número 5 do mundo lamentou a má atuação e diz ter ficado sem energia na partida contra a norte-americana Lauren Davis, mas fez questão de destacar a boa apresentação de sua adversária.

"Eu estava tentando encontrar o meu melhor jogo. Não estava me sentindo bem desde o começo, não sei porque. Quero dizer, a energia não estava lá", disse Kerber após a derrota por 2/6, 6/2 e 6/1 para Davis, 95ª colocada no ranking mundial.

"Ela jogou bem, principalmente no último set também. Eu tentei de tudo, mas ela também é uma adversária muito complicada. Ela usa muitos slices e se movimentou bem no terceiro set. Não consegui terminar a partida da maneira que gostaria", comenta a ex-líder do ranking, que deverá sair do top 10 com a eliminação precoce.

Isso aconteceu já durante o jogo. Eu estava tentando me motivar. Mesmo no primeiro set, que eu ganhei, eu não sentia que estava jogando bem. Continuei tentando encontrar meu melhor jogo. Mas como eu disse, ela jogou bem, foi agressiva e passou a controlar a partida.

"É claro que estou desapontada. Não é a maneira como eu gostaria de jogar aqui terminar o torneio, mas sei que dias como hoje podem acontecer e você tem que aceitar e tentar aprender com eles e esquecer o que aconteceu o mais rápido possível", complementou a experiente jogadora de 31 anos.

Kerber também foi perguntada sobre as condições da Quadra Número 2 do All England Club. Isso porque tanto a alemã quanto a tcheca Karolina Pliskova atuaram nesta quadra e também na Quadra Central e as duas consideraram o piso do estádio principal mais rápido que o da arena externa. "Ela é bem mais lenta. Eu percebi isso já durante o aquecimento. Mas isso é não é desculpa para a minha derrota".

Algoz de Kerber nesta quinta-feira, Davis já foi top 30 do ranking em 2017 e comemorou sua terceira vitória contra top 10 na carreira. "Angie é uma adversária muito difícil de enfrentar. Ela é uma campeã incrível e tenho imenso respeito por ela, mas tinha que acreditar em mim mesma e pensar que sou capaz de vencer jogadoras como ela".

"Ela faz coloca muitas bolas de volta em quadra. É como uma prancha humana. Definitivamente, foi um jogo difícil. Sabia que a chave seria mudar o ritmo. Eu tive um pouco de dificuldade em encontrar um meio-termo feliz entre ser agressiva e trabalhar mais pontos para disputar ralis mais longos, mas depois eu consegui fazer", relata a norte-americana de 25 anos, que agora enfrenta a espanhola Carla Suárez Navarro.

Comentários