Notícias | Dia a dia | Wimbledon
'Considerei deixar o conselho da ATP', revela Djokovic
29/06/2019 às 17h20

Londres (Inglaterra) - Os bastidores da ATP estão bastante movimentados nesta temporada, que já viu a saída do atual presidente Chris Kermode, marcada para o final de 2019, e a renúncia do norte-americano Justin Gimelstob, envolvido em uma série de polêmicas pessoais. Às vésperas de começar a disputa de Wimbledon foi a vez de uma debandada em massa do conselho, que perdeu de cara três nomes.

Após uma longa reunião na sexta-feira, o britânico Jamie Murray, o holandês Robin Haase e o treinador Daniel Vallverdú se desligaram do conselho, com os dois últimos anunciando através das redes sociais suas respectivas saídas. Outro que chegou a pensar no assunto foi o sérvio Novak Djokovic, que em entrevista coletiva concedida neste sábado falou um pouco sobre o ocorrido com seus companheiros.

“Compreendo as baixas de Daniel, Jamie e Robin. Para que vocês entendam, ontem tivemos uma reunião que começou às 17h e foi até mais de meia-noite. Fico chateado saber que houve vazamentos porque isso prejudica a confiança no grupo. Não há nada a esconder, mas muito do que se fala é confidencial”, comentou o número 1 do mundo, que atualmente é o presidente do conselho dos jogadores.

“É uma pena ver as pessoas indo embora, eu mesmo considerei deixar o conselho. Minha equipe quer isso, mas há algo dentro de mim que fala para eu seguir. Estamos em uma fase de transição e acredito poder ajudar bastante”, acrescentou Djokovic, que recentemente acusou a imprensa de criar atrito entre os jogadores através das decisões tomadas no conselho.

O líder do ranking também falou sobre sua relação com Wimbledon, onde conquistou quatro títulos, mas que no começo era um desafio para ele. “Não temos quadras de grama na Sérvia e acho que a primeira vez que joguei em uma foi quando tinha 17 anos, aqui na Inglaterra. Nunca joguei neste piso no juvenil e me demorei para me adaptar a ele nos primeiros anos como profissional”, disse o sérvio.

“Tive que aprender como me movimentar em quadra, adaptar meus golpes e o jogo em geral. Sempre fui de ficar na linha de base, mas na grama você precisa ir mais à rede, usar mais o slice e ter mais variedade”, complementou o atual campeão no All England Club e cabeça de chave número 1 nesta edição do torneio, em que terá como adversário na estreia o alemão Philipp Kohlschreiber.

Comentários