Notícias | Dia a dia
Federer continua na batalha para recuperar o 'RF'
21/06/2019 às 07h31

Nova York (EUA) - O principal objetivo de Roger Federer na temporada é conquistar, pelo menos, um bom resultado em Wimbledon. No entanto, antes de se preocupar com os jogos dentro de quadra durante o segundo semestre, o suíço tem realizado um confronto com a Nike nos bastidores. A disputa é para reconquistar os direitos da marca RF, que está com a empresa norte-americana desde que foi criada. A ideia é voltar a comercializar os produtos com as iniciais do tenista.

Toda essa confusão começou no meio do ano passado, quando Federer não renovou o contrato com a Nike e assinou um acordo de US$ 30 milhões com a japonesa Uniqlo. Na época, uma polêmica foi criada por conta das críticas que o suíço fez pela qualidade dos materiais disponibilizados pelo antigo patrocinador. Porém, a discussão entre as duas partes não ficou apenas por causa desse episódio, mas sim pela 'RF'.

A marca com as iniciais do campeão foi uma parceria entre o suíço e a Nike. Ou seja, o fim do acordo entre os dois acabou deixando o acordo em uma situação complicada. O resultado foi uma disputa sem fim, até agora, para saber como seria o futuro das roupas e acessórios da 'RF'. Recentemente, a empresa norte-americana tirou todos os produtos das lojas e deu indícios que Federer deve recuperar os direitos para comercializar.

Com isso, ele acabou por ganhar notícias fora do tênis, já que o caso chamou atenção. Algo que não deve atrapalhar a preparação para o segundo semestre. Após ser eliminado nas semifinais de Roland Garros, o atual terceiro colocado da ATP acredita que pode render bem até o final do ano. O alvo principal deve ser ganhar, pelo menos, um dos dois Grand Slams que faltam no ano.

De olho em Wimbledon
Por já ter conquistado o troféu na Grã-Bretanha em oito ocasiões, Federer já olha para Wimbledon como o principal objetivo na temporada. A ideia é voltar a conquistar a competição, após cair no ano passado para Kevin Anderson. As principais dicas de apostas apontam que, assim como foi Roland Garros, os melhores do ranking chegam com favoritismo. Novak Djokovic e Rafael Nadal devem dar trabalho ao maior campeão do torneio.

Federer sonha em conquistar o 21º título de Grand Slam, seja como satisfação pessoal ou então para ampliar a diferença de recorde que possui contra Nadal. O espanhol conseguiu o 18º troféu na França e se aproximou do suíço. A disputa entre os dois, nesta reta final de carreira, deve esquentar a rivalidade. Por fora, Djokovic também busca se aproximar de ambos, mesmo tendo no momento 15 torneios conquistados.

Seja em quadra ou então resolvendo problemas nos bastidores, a temporada de 2019 continua dando destaque para Federer. Com 37 anos e próximo da aposentadoria, deixa os fãs sempre curiosos pelos próximos passos. Wimbledon começa no dia 1º de julho e vai até o dia 14.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis