Notícias | Dia a dia
Ostapenko tem maior vitória do ano e se diz confiante
19/06/2019 às 16h30

Ostapenko venceu uma top 20 pela primeira vez no ano

Foto: Divulgação

Londres (Inglaterra) - Disposta a voltar a lutar por títulos importantes e pelas primeiras posições do ranking mundial, Jelena Ostapenko conseguiu uma vitória expressiva nesta quarta-feira. Ela se garantiu nas quartas de final do WTA Premier de Birmingham depois de derrotar a britânica Johanna Konta, 18ª do ranking, por 6/3 e 6/4 em 1h19 de partida.

"Fiz uma boa partida. Eu não tinha nada a perder porque a Jo está em grande forma agora e foi semifinalista em Roland Garros", disse Ostapenko, que marcou sua primeira vitória contra top 20 na temporada e chega às quartas em um torneio pela primeira vez em 2019.

"Ela é uma jogadora muito boa na grama. Então eu vim para o jogo sem qualquer expectativa, mas eu tentei fazer o meu jogo e ser mais agressiva. Acho que eu não dei chances para que ela jogasse da maneira como queria", acrescenta a ex-top 5 e campeã de Roland Garros em 2017, que aparece atualmente no 37º lugar do ranking mundial.

Lesão no punho atrapalhou início de ano
Ostapenko lembra que seu início de temporada foi prejudicado por uma lesão no punho esquerdo, mas que a confiança está voltando aos poucos. "Entendo que se jogar bem, posso ganhar muitos jogos. Isso é apenas uma questão de tempo. Eu estava lesionada no fim do ano passada e não consegui fazer a pré-temporada de forma adequada. Isso tirou a minha confiança, é claro. Mas sei que se eu tentar jogar sem pensar nisso e trabalhar duro nos treinos, estarei de volta porque tenho a capacidade de jogar bem".

"Eu ainda sou uma lutadora. Eu luto quase todos os jogos. Houve jogos que perdi, mas eu ainda estava lutando até o último ponto. É, como eu disse, sobre confiança e consistência. Estou tentando aproveitar mais o tênis agora e tentando não pensar muito", avaliou a jovem tenista.

A jogadora de 22 anos não estabeleceu metas específicas em termos de ranking ou vitórias para o restante da temporada. "É difícil, porque eu continuo tentando fazer o trabalho de pré-temporada quando tenho uma chance, mas depois tenho que jogar novos torneios", comenta a letã, que agora enfrenta a croata Petra Martic, que venceu a russa Margarita Gasparyan por 6/3 e 7/6 (7-4).

Semifinalista de Wimbledon no ano passado, a Ostapenko acredita que seu jogo agressivo pode ser muito eficiente nas quadras de grama. "É muito difícil de se mover na grama. E se você bate forte na bola, fica mais difícil para a adversária acertar a bola, porque ela vem muito mais rápida do que nas outras superfícies e o quique é muito menor. Então estou apenas tentando para ser ainda mais agressiva e se eu tiver uma chance, tenho que definir os pontos".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis