Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Nadal ganha 12º RG e se aproxima de Federer
09/06/2019 às 13h13

Paris (França) - Invencível quando o assunto é final de Roland Garros, o espanhol Rafael Nadal fez valer seu histórico perfeito em decisões do Grand Slam francês e derrotou, pelo segundo ano consecutivo, o austríaco Dominic Thiem, marcando parciais de 6/3, 5/7, 6/1 e 6/1, em 3h de confronto, para alcançar seu 12ª título no saibro parisiense e o 18º da carreira nos quatro principais torneios do circuito.

A conquista do canhoto de Mallorca não apenas o faz ficar cada vez mais próximo dos 20 títulos de Slam do suíço Roger Federer, o recordista entre os homens, mas também leva Rafa a bater uma marca de Margaret Court e se tornar o maior campeão em um mesmo Slam. A australiana havia vencido 11 vezes em Melbourne, agora uma vez a menos do que o espanhol em Paris.

Nadal iguala outra lenda do tênis mundial e se torna o primeiro desde a tcheca naturalizada norte-americana Martina Navratilova a ter 12 taças em um mesmo evento. Entre os anos de 1978 e 1992, ela faturou 12 vezes o título de simples em Chicago.

Em finais de Grand Slam, o espanhol soma agora 18 vitórias e apenas 8 derrotas, tendo vencido todas as 12 decisões que disputou em Paris. Este foi o triunfo de número 950 de Rafa no circuito e o 32º na temporada. Apenas quatro venceram mais que ele na história, Federer (1207), Jimmy Connors (1156) e Ivan Lendl (1069), ao passo que em 2019 ele é o maior vitorioso ao lado das 32 do grego Stefanos Tsitsipas.

O espanhol alcançou também sua 260ª vitória em Grand Slam, diminuindo a distância para o segundo colocado, o sérvio Novak Djokovic (270) e para Federer, o recordista com 347. Campeão também do Masters 1000 de Roma, o número 2 do mundo se tornou o sétimo a conquistar mais de um troféu nesta temporada.

Veja como Nadal construiu sua vitória

O jogo começou notavelmente intenso. Os dois jogadores não economizaram energia e esforço para trocar dezenas de bolas, aguardando a hora de atacar e procurando muitas variações. Thiem obteve a quebra primeiro, abrindo 3/2, mas não sustentou nem por um game. O melhor momento de ambos viria em seguida, num longo e incrivelmente bem disputado sétimo game, em que Nadal evitou outro break-point. O austríaco então pareceu perder pela primeira vez o controle emocional, se apressou, viu o espanhol fazer até saque-voleio perfeito e perdeu 12 dos 16 pontos na reta final do set.

O segundo set foi muito curioso. Nadal sacou extremamente bem, cedendo um único ponto ao adversário em seus cinco primeiros serviços, mas quando chegou a 5/6 perdeu a precisão que vinha mostrando lá da base. Thiem entrou nos pontos, aprofundou a bola e viu o espanhol cometer erros. Tirou enfim o primeiro set de Nadal nos quatro duelos feitos em Roland Garros porque de sua parte também sacou com qualidade.

Inexplicavelmente, Thiem desabou no terceiro set. Passou a errar tudo da base ou encurtou demais a bola, o que era um convite ao ataque de Nadal. O espanhol se agigantou de novo, sufocou até com voleios impecáveis, e rapidamente saltou para 4/0. O austríaco ainda conseguiu evitar o desastre total, mas voltou a perder o saque sem exibir qualquer poder de reação.

Thiem ainda teve chances de brigar no quarto set, mas perdeu chances de quebra no primeiro e terceiro games, sempre com Nadal sacando muito bem no aperto, e de sua parte jogou um game de novo todo apressado. Nessa conta toda, Nadal abriu 3/0, vibrando a cada esforço recompensado. Precisou então se manter firme na base para colecionar os erros de um Thiem cada vez mais fraco de pernas e assim justificar seu favoritismo.

A superioridade de Rafa no duelo fica clara nos números, com ele conseguindo mais bolas vencedoras do que o austríaco (38 a 31) e cometendo também menos erros não forçados (31 a 38). Outra estatística favorável ao espanhol é a de aproveitamento com o saque, vencendo 70% dos pontos contra apenas 55% de Thiem. O campeão deixa o torneio com uma premiação de 2,3 milhões de euros e o vice com 1.180.000 euros.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series