Notícias | Dia a dia
Apesar do vice, Djoko amplia vantagem sobre Nadal
20/05/2019 às 08h10

Miami (EUA) - Mesmo tendo perdido a final deste domingo no Masters 1000 de Roma, o sérvio Novak Djokovic ampliou sua vantagem no ranking em relação ao espanhol Rafael Nadal, que enfim levantou sua primeira taça na temporada. Isso porque o número 1 do mundo defendia a semi do ano passado e ao chegar na decisão acabou somando mais 240 pontos, enquanto seu algoz manteve a mesma pontuação ao defender o título.

E a tendência é que essa vantagem aumente ainda mais até o fim da temporada de saibro, fazendo com que ‘Nole’ possa garantir a permanência na ponta para além de Wimbledon, quando ele enfim terá 2.000 pontos a defender. No ano passado em Roland Garros, o sérvio parou nas quartas de final, conquistando 360 pontos, ao passo que o canhoto de Mallorca levou os 2.000 da conquista de seu 11º troféu em Paris.

O título de Nadal no Foro Itálico impediu apenas que ele ficasse mais de 5 mil pontos atrás de Djokovic, que tinha a chance de colocar incríveis 5.210 pontos de frente para cima de seu perseguidor mais próximo. Atualmente, somente os dois primeiros e o suíço Roger Federer, o terceiro colocado no ranking, somaram mais de 5 mil pontos na ATP. Número 4 do mundo, o austríaco Dominic Thiem tem 4.845.

 
 
 
 
 
Visualizar esta foto no Instagram.
 
 
 
 
 
 
 
 
 

#vamos #Italia #Happy #win #Tenis #Tennis #Roma #felicissimo

Uma publicação compartilhada por Rafa Nadal (@rafaelnadal) em

Diferença entre Djokovic e Nadal equivale a um Zverev

A atual distância entre os dois primeiros na lista da ATP (4.410 pontos) é superior ao que o atual número 5 do mundo Alexander Zerev, conseguiu somar nas últimas 52 semanas. Para chegar aos atuais 4.155 pontos, o alemão conquistou dois títulos (ATP FInals e ATP 500 de Washington), fez uma quartas de final de Grand Slam (Roland Garros), uma semi de Masters 1000 (Xangai) e mais três quartas (Madri, Paris e Toronto).

Completam o top 10 da ATP o grego Stefanos Tsitsipas (6º), que protagonizou a principal mudança de toda a faixa dos dez primeiros, derrubando o japonês Kei Nishikori para o sétimo lugar, o sul-africano Kevin Anderson (8º), o argentino Juan Martin del Potro (9º) e o norte-americano John Isner (10º), que contou com a queda de três colocações do croata Marin Cilic, atualmente no 13º posto.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis