Notícias | Dia a dia
Semifinalista, Nadal sente que teve sorte no 1º set
19/04/2019 às 19h43

Nadal sofreu quatro quebras no set inicial da partida contra Guido Pella

Foto: Divulgação

Monte Carlo (Mônaco) - Depois de vencer um jogo difícil pelas quartas de final do Masters 1000 de Monte Carlo, Rafael Nadal acredita que teve sorte nos momentos decisivos do primeiro set da partida contra o canhoto argentino Guido Pella nesta sexta-feira. O espanhol sofreu quatro quebras de serviço durante o set inicial e viu o rival abrir vantagem e até sacar para fechar.

Nadal vence jogo mais duro no torneio em 2 anos

"Foi um primeiro set muito difícil, física e mentalmente. Perder os três primeiros games com o meu saque foi difícil. Mas encontrei uma maneira de vencer na hora certa", disse Nadal após a vitória por 7/6 (7-1) e 6/3 nesta sexta-feira em Monte Carlo. Embora tenha sido definida em sets diretos, a partida durou 2h20.

"Tive sorte no 4/1, porque ele teve duas chances para fazer 5/1, que é quase impossível virar. Tive a sorte de escapar desse momento e depois joguei melhor. Estou muito feliz de vencer e estar nas semifinais de novo aqui significa muito para mim", complementou o espanhol, que enfrentará o italiano Fabio Fognini neste sábado.

Nadal fez questão de enaltecer o bom momento de Pella, número 35 do mundo, que teve bons resultados no saibro sul-americano em fevereiro. "Ele está fazendo uma ótima temporada e vencendo muitos jogos no saibro, jogou uma final [em Córdoba], foi campeão em São Paulo e semifinalista em Buenos Aires. São muitas partidas seguidas e é por isso que ele tem tanta confiança".

O número 2 do mundo também comentou a eliminação de Novak Djokovic, líder do ranking mundial e superado nas quartas pelo russo Daniil Medvedev. "É verdade que Djokovic baixou um pouco a intensidade no terceiro set, mas não podemos desvalorizar Medvedev; ele jogou muito bem e acho que ele mereceu a vitória", disse ao jornal britânico Metro.

"Quando o Novak perde parece muito estranho, já que ele é um jogador muito sólido. Mas como todos os tenistas, ele é humano e pode perder em qualquer dia. É, sem dúvida, a essência deste esporte", complementou o espanhol, que enfrentará o italiano Fabio Fognini na semifinal deste sábado.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis