Notícias | Dia a dia | Rio Open
Monteiro cai nas 8as e Rio Open fica sem brasileiros
20/02/2019 às 21h14

Monteiro tentava chegar às quartas de final do torneio pela segunda vez

Foto: Fotojump

Rio de Janeiro (RJ) - A participação brasileira na chave de simples do Rio Open chegou ao fim nesta quarta-feira com a eliminação de Thiago Monteiro nas oitavas de final. Convidado para a disputa do Rio Open, torneio ATP 500 disputado no saibro do Jockey Club Brasileiro, o número 1 do Brasil e 126º do ranking perdeu por 6/3 e 6/4 para o esloveno Aljaz Bedene, 86º colocado.

Por ter vencido um jogo no torneio, diante do português Pedro Sousa na última terça-feira, Monteiro receberá 45 pontos no ranking mundial. O cearense de 24 anos, entretanto, ainda precisaria descartar seis pontos de seu 18º e último resultado válido para o atual ranking. Com isso, o ex-número 74 do mundo irá se aproximar do grupo dos 120 melhores.

Este é o segundo ano consecutivo que nenhum brasileiro chega às quartas de final do Rio Open, sendo que na temporada passada sequer houve vitórias dos jogadores da casa. As melhores campanhas nacionais em seis edições do torneio foram de Thomaz Bellucci em 2014, João "Feijão" Souza em 2015 e do próprio Monteiro em 2017, quando chegaram às quartas de final.

As esperanças de título para brasileiros passam a ser depositadas apenas nas duplas. Quatro parcerias nacionais estão na disputa, com evidente destaque para os favoritos mineiros Marcelo Melo e Bruno Soares, além do gaúcho Marcelo Demoliner, que atua ao lado do dinamarquês Frederik Nielsen. Thomaz Bellucci e Rogério Dutra Silva foram convidados, assim como Monteiro e Fernando Romboli. Já Thiago Wild e Mateus Alves entraram como lucky-losers na chave.

Embora Bedene tenha feito duas duplas-faltas logo no game de abertura, Monteiro só conseguiria a quebra no quinto game. A vantagem durou pouco tempo, já que o esloveno devolveu a quebra de imediato para buscar o empate por 3/3. Naquele momento, o equilíbrio na partida era tanto que cada jogador havia feito 20 pontos.

Bedene ganhou confiança e confirmou o serviço no game seguinte para fazer 4/3. Na sequência, Monteiro cometeu dois erros seguidos com o backhand e ficou em situação delicada no game, sofrendo com o peso da devolução do esloveno para voltar a ter serviço quebrado. Sacando para fechar o set, Bedene novamente não correu riscos e terminou a parcial vencendo quatro games seguidos. O esloveno aproveitou os dois break points que teve no set e liderava nos winners por 8 a 6.

Enquanto os break points foram raros durante o set inicial, a parcial seguinte ofereceu mais alternativas para ambos os lados. Monteiro foi primeiro a ter o serviço ameaçado, ainda no início, mas conseguiu escapar da quebra. Quando vencia por 3/2, o cearense conseguiu colocar pressão sobrea o adversário, mas Bedene escapou de um 15-40 com dois ótimos saques. O esloveno até chegou a salvar mais um break point, mas não evitou a quebra um pouco depois, deixando Monteiro liderando por 4/2.

Próximo de fechar o set, Monteiro teve um game de serviço muito ruim e permitiu que o adversário devolvesse a quebra. O cearense ainda estava à frente no placar e teve um break point depois que o esloveno cometeu uma dupla-falta, mas Bedene foi um pouco mais firme no rali para forçar o erro do número 1 do Brasil e manter o saque. Com o placar empatado por 4/4, Monteiro escapou de um 0-40, mas deu azar numa bola que tocou na fita e saiu. Bedene aproveitou o novo break point e passou à frente no placar. O último game da partida foi extremamente disputado, com Monteiro salvando três match points e criando três chances de quebra, mas Bedene conseguiu confirmar o saque e prevalecer.

Algoz de Monteiro no Rio, Bedene já repete a campanha do ano passado, quando também chegou às quartas. O esloveno, que também chegou a defender a Grã-Bretanha durante algumas temporadas, enfrentará nas quartas o boliviano vindo do quali Hugo Dellien, que derrotou o espanhol Roberto Carballes Baena por 7/5 e 6/4.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series