Notícias | Copa Davis
Para Hewitt, mudanças na Davis são 'inaceitáveis'
29/01/2019 às 18h38

Hewitt criticou a interferência de Piqué no tênis

Foto: Arquivo

Adelaide (Austrália) - Capitão da equipe australiana da Copa Davis e integrante de campanhas vitoriosas nos dois últimos títulos do país, em 1999 e 2003, Lleyton Hewitt criticou duramente o novo formato da competição, que entra em vigor a partir desta temporada. O ex-número 1 do mundo duvida do sucesso do torneio com jogos em melhor-de-três sets e uma fase final com 18 países jogando em sede única.

Hewitt também criticou o jogador de futebol Gerard Piqué, presidente e fundor do grupo de investimentos Kosmos, que ofereceu o suporte financeiro para que a Federação Internacional de Tênis (ITF) apoiasse as mudanças radicais na competição.

"É inaceitável colocar em jogo o futuro de uma competição com 119 anos de história", disse Hewitt, em entrevista coletiva nesta terça-feira, em Adelaide, onde a Austrália receberá a Bósnia-Herzegovina pelo qualificatório mundial da Copa Davis.

"Estamos nas mãos de um jogador de futebol que não entende nada de tênis. Isso é ridículo. Imaginem se eu decidisse mudar totalmente o formato da Liga dos Campeões. São esportes totalmente diferentes e não faz sentido igualar esta competição à Copa do Mundo de futebol. Essa idéia não vai funcionar", acrescentou o veterano de 37 anos, que já encerrou sua carreira profissional em simples, mas ainda atua em esporadicamente em torneios de duplas.

"Por que tantas marcas e entidades relacionadas ao futebol estão patrocinando um evento de tênis? Eles conseguiram controle absoluto por meio do dinheiro. Não estou de acordo com o novo formato de competição. A emoção de jogar dentro e fora de casa e de disputar partidas de cinco sets é suprimida. E não acho que os melhores vão disputar", avaliou o comandante da equipe, que lamenta que a nova geração não tenha as mesmas oportunidades que ele.

"O que mais me dói é que jovens jogadores como [Alex] De Miñaur e [Alexei] Popyrin não terão uma das melhores experiências na carreira de um tenista, que é poder jogar uma final da Copa Davis em casa", complementou Hewitt, que também disputou finais de Copa Davis em 2000 e 2001.

A Austrália contará com Alex De Miñaur, John Millman, Jordan Thompson, Alexei Popyrin e John Peers para os jogos contra a Bósnia-Herzegovina de Damir Dzumhur, Mirza Basic, Tomislav Brkic e Nerman Fatic. A série será disputada no Memorial Drive Tennis Club, em Adelaide. Quem vencer, estará na fase final da Davis entre os dias 18 e 24 de novembro em Madri.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series