Notícias | Dia a dia | Australian Open
Nadal enaltece nível do algoz e pede mais semanas
27/01/2019 às 15h46

Nadal praticamente não teve chance na final do AO

Foto: Luke Hemer/Tennis Australia

Melbourne (Austrália) - Dominado na final deste domingo, o espanhol Rafael Nadal reconheceu a superioridade do sérvio Novak Djokovic na decisão do Australian Open. Apesar da derrota, ele não sai de cabeça baixa da competição, acredita que tenha conseguido um bom resultado e acredita que com mais tempo de circuito consiga alcançar um nível suficiente para encarar o atual número 1 do mundo em pé de igualdade.

“Eu preciso de partidas, mas não posso ficar louco para jogar tudo, tenho já uma certa idade, seguirei meu calendário e tenho minhas prioridades. Minha prioridade agora é voltar para casa e descansar um pouco. Joguei um bom tênis por algumas semanas e o próximo passo e voltar, fazer um bom trabalho físico, continuar trabalhando no que funcionou e tentar corrigir o que não deu certo”, avaliou o espanhol.

“Sua partida foi incrível e isso não dá para contestar. Acho que ele foi fantástico e quando joga assim eu preciso fazer algo a mais, algo que não consegui mostrar hoje. Por outro lado, provavelmente eu não estava fisicamente apto a enfrentá-lo. Fiz ótimas apresentações nas duas últimas semanas, mas passei os últimos cinco meses sem competir e isso foi um desafio. Quando precisei de algo mais não encontrei ainda. Tenho que buscar isso para competir no mais alto nível”, acrescentou Nadal.

O canhoto de Mallorca garantiu ter feito tudo o que podia em quadra e negou que os 28 erros não forçados sejam obra do nervosismo. “Cometi mais erros porque ele me pressionou bastante, não é questão ne nervosismo. Estava sendo exigido em todas as bolas. Quando você vai para quadra sabe que pode vencer ou perder, principalmente contra jogadores assim e tem que aceitar que alguém possa jogar tão bem”.

Sobre o fato de ter ficado acuado a maior parte do tempo, Nadal deu todo crédito a Djokovic. “Minha sensação foi que eu sempre estive em posição ofensiva durante as duas semanas, durante as seis partidas. Hoje sei que isso não aconteceria. Ele provavelmente jogou melhor do que durante o resto do torneio, foi melhor partida até agora e quando está nesse nível é muito difícil vencê-lo”, comentou o vice-líder da ATP.

Nadal reforçou precisar de uma maior sequência de jogos para jogar ainda melhor e mostrou tranquilidade ao digerir a derrota. “Não é a primeira vez que nos enfrentamos, não é a primeira vez que ele me venceu. Enfrentei um rival que foi melhor do que eu hoje, mas não posso sair triste, pois fiz uma grande campanha, jogando muito bem. Passei cinco meses praticamente sem poder treinar ou competir, por isso saio positivo. A única coisa que eu preciso é de mais jogos”, finalizou.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series