Notícias | Dia a dia | Australian Open
Carreño pede desculpas depois de ataque de fúria
21/01/2019 às 22h52

Melbourne (Austrália) - Protagonista de uma das cenas mais marcantes da rodada da última segunda-feira no Australian Open, quanto teve um ataque de fúria ao fim da partida contra Kei Nisikori, sendo derrotado de virada pelo japonês, o espanhol Pablo Carreño pediu desculpas ao público por seu comportamento em quadra.

“Claro que estou muito triste. Depois de cinco horas de luta, a maneira que deixei a quadra não foi a correta, sinto muito, não fui eu mesmo naquele momento”, falou o espanhol, já com a cabeça mais fria, na coletiva após o confronto. Mesmo lamentando o seu comportamento, ele não deixou de criticar a decisão do juiz no tiebreak do quinto set, que foi a principal responsável pelo exagero.

“Não preciso ver a repetição do lance, pois o juiz de linha cantou a bola como fora e Nishikori fez o winner. Às vezes eles erram e por isso temos o desafio. Eu pedi isso e mostrou que a bola foi boa, mas não entendi por que o árbitro deu o ponto a Nishikori. Ser era para dar o ponto a ele, então porque me permitiu desafiar”, disparou Carreño.

O espanhol ainda lamentou ter deixado com que aquele lance atrapalhasse seu desempenho em um momento tão importante. Ele vencia o match-tiebreak final por 8-5 e depois do ocorrido não venceu um ponto mais. “Foi difícil manter a concentração depois daquilo. Eu tentei, mas Kei jogou muito bem em vários pontos e eu falhei em alguns”, resumiu o espanhol.

“Acho que o árbitro estava errado e o juiz de linha também. Eu quis deixar a quadra rapidamente quando perdi o jogo porque sabia que a qualquer momento ia perder a cabeça. Eu joguei muito bem, fiz um jogo incrível e Kei também. É triste ser eliminado assim”, finalizou o tenista de 27 anos e atual 23º do mundo.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series