Notícias | Dia a dia | Australian Open
Hewitt acusa Tomic de chantagem e ameaças
18/01/2019 às 00h25

Hewitt lamentou que polêmica ofuscou feitos australianos

Foto: Divulgação

Melbourne (Austrália) - Depois de o australiano Bernard Tomic acusar o compatriota Lleyton Hewitt de se beneficiar do cargo de capitão do time na Copa Davis, dando tratamento especial a jogadores que estariam no seu esquema, foi a vez do ex-número 1 disparar contra o atual 88 do mundo em uma entrevista coletiva explosiva dada na última quinta-feira.

Hewitt negou categoricamente que estivesse recebendo pagamentos para beneficiar jogadores australianos com convites e disse que gostaria de ver uma investigação sobre os comentários feitos por Tomic. Além disso, ele revelou que o tenista estava fazendo ameaças físicas a ele e à sua família.

"Recebi essas ameaças no último ano e meio e por isso não acho que deveria procurar para conversar uma pessoa que fala assim", afirmou o capitão da Davis, que também falou sobre chantagens a respeito da competição.

Ele explicou que desde que assumiu o posto de capitão tentou trazer Tomic para perto de si, mas sem sucesso. “Tentamos estabelecer padrões culturais para aqueles que vão representar a Austrália na Copa Davis. Ele não passado nem próximo disso nos últimos dois anos”, afirmou Hewitt.

“Para mim, a maior frustração que sinto é que tentei fazer o possível para ajudar Bernie, especialmente quando entrei no papel de capitão, passei muito tempo com ele, e estivemos juntos em muitos torneios. Tentei colocar uma estrutura mais bem montada ao seu redor, mas ele continuava cometendo os mesmos erros”, complementou o capitão australiano.

Hewitt destacou que além de tudo, o incidente acabou ofuscando as conquistas de outros australianos nos primeiros dias do Australian Open. “Tivemos grandes vitórias nesse começo de torneio e tudo que se falou foi nas declarações de Bernie”, finalizou.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series