Notícias | Dia a dia | Australian Open
Nishikori quer superar barreira das quartas de final
13/01/2019 às 08h41

Nishikori quer não apenas ir longe nesse Australian Open, mas também nos demais Grand Slam da temporada

Foto: Ben Solomon/Tennis Australia

Melbourne (Austrália) - Em oito participações no Australian Open, o japonês Kei Nishikori já chegou nas quartas de final três vezes. Contudo, desta vez ele quer superar essa barreira e ir mais longe nas quadras do Melbourne Park, quem sabe buscando uma semifinal, uma final ou até um título inédito de Grand Slam.

“Espero poder ir mais longe, uma das minhas metas é fazer isso nos Grand Slam. Quero tentar ir além das quartas de final”, contou o número 9 do mundo, que só conseguiu ir além das quartas no US Open, onde foi duas vezes até a penúltima rodada (2018 e 2016) e conseguiu um vice-campeonato em 2014.

Campeão do ATP 250 de Brisbane, na primeira semana da temporada, ele chega mais confiante do que nunca para a disputa. “Geralmente vou bem aqui, mas nunca tinha vencido um torneio de preparação e por isso não poderia esperar um melhor começo de ano do que esse. Quero seguir saudável e poder desempenhar meu melhor tênis”, afirmou.

Sua estreia no primeiro Slam do ano será diante do polonês Kamil Majchrzak, de 22 anos e atual 176 do mundo, que veio do quali e fará sua primeira aparição em um dos quatro principais torneios do circuito. “Eu já o vi jogando, mas tenho que conversar bastante com minha equipe, pois nunca nos enfrentamos e conheço poucas coisas sobre ele”, comentou o nipônico.

Nishikori revelou que usou a pré-temporada para tentar corrigir alguns defeitos em seu jogo, mas que ainda as mudanças não estão ideais, embora esteja se sentindo bem e jogando cada vez melhor. Ele também acabou tocando no assunto mais comentado dos últimos dias em Melbourne: a aposentadoria do britânico Andy Murray.

"Não sei bem o que dizer, é uma notícia muito triste. Estava vendo que ele não se movimentava muito bem, mas não imaginava que poderia acontecer isso. Já nos enfrentamos várias vezes e aprendi muito com ele, que é um cara muito talentoso”, resumiu o japonês de 29 anos.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series