Notícias | Dia a dia | Australian Open
Bautista diz que duelo com Murray terá algo a mais
13/01/2019 às 08h15

Bautista tentará superar Murray pela primeira vez

Foto: Divulgação

Melbourne (Austrália) - A carreira de um dos maiores tenistas da atualidade, o britânico Andy Murrya, está com os dias contados desde o seu anúncio na última sexta-feira, quando revelou que ainda sente incômodos no quadril, mesmo após a cirurgia feita no ano passado. Programando se aposentar em Wimbledon, o ex-número 1 do mundo transformou em especiais todas as partidas que irá disputar em 2019.

Seu primeiro adversário neste Australian Open, o espanhol Roberto Bautista concorda que o embate entre ele e Murray, marcado para acontecer às 5h (horário de Brasília) desta segunda-feira terá uma aura diferenciada. “Será uma partida que terá um algo mais, vai ser um pouco diferente do que um cara a cara contra um jogador qualquer. Para mim, Andy é um dos melhores tenistas da história, será uma experiência inesquecível”, afirmou.

“Vou tentar fazer um bom jogo, focar em mim mesmo, buscar fazer a minha parte a não ficar pensando muito no que está do outro lado da rede. Vai ser um desafio midiático”, complementou o espanhol de 30 anos e atual 23 do mundo, que nunca passou das oitavas de final no Melbourne Park e que na temporada passada amargou uma eliminação logo na estreia.

Cabeça de chave 22, o tenista de Castellón terá talvez sua última chance de conseguir vencer o britânico pela primeira vez. Ele e Murray já se cruzaram em outras três oportunidades e em todas quem levou a melhor foi o dono de três títulos de Grand Slam e duas medalhas de ouro olímpicas. Bautista sequer tirou um set de se rival de estreia no Australian Open, caindo sempre em parciais diretas.

O primeiro confronto entre eles aconteceu na grama do All England Club, na terceira rodada da edição de 2014. Na segunda partida, desta vez no saibro do ATP 500 de Munique, com vitória de Andy nas semifinais. O encontro mais recente ocorreu em 2016, na final do Masters 1000 de Xangai, onde o britânico conquistou um de seus 45 títulos da carreira.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series