Notícias | Dia a dia | Australian Open
Onze jogadoras disputam o número 1 em Melbourne
11/01/2019 às 14h10

Halep tem a liderança ameaçada por dez concorrentes em Melbourne

Foto: Divulgação

Melbourne (Austrália) - Enquanto a disputa pela liderança no ranking da ATP ficará restrita a Novak Djokovic e Rafael Nadal durante o Australian Open, o cenário na chave feminina é muito mais equilibrado e imprevisível. Ao todo, são onze jogadoras que podem terminar o primeiro Grand Slam do ano no topo do ranking da WTA.

A número 1 do mundo Simona Halep é atual vice-campeã em Melbourne e tem 1.300 pontos a defender durante as duas semanas de competição. A romena é ameaçada por Angelique Kerber, Caroline Wozniacki, Naomi Osaka, Sloane Stephens, Petra Kvitova, Elina Svitolina, Karolina Pliskova, Kiki Bertens, Daria Kasatkina e Aryna Sabalenka.

Três jogadoras podem sair da lista de candidatas ao número 1 logo no início do torneio. Para Wozniacki, Kasatkina e Sabalenka, a combinação envolve o título do Grand Slam australiano e uma desistência ou eliminação precoce de Halep. Wozniacki, que é atual campeã e defende 2 mil pontos, e Kasatkina só podem chegar à liderança se a romena não disputar o torneio. Já Sabalenka pode ultrapassar Halep em caso de derrota da romena na primeira rodada.

Semifinalista no ano passado e vice-líder do ranking, Kerber precisa pelo menos repetir o resultado de 2018 e defender seus 780 pontos para seguir com chances de voltar à primeira posição, que já ocupou por 34 semanas. Outras duas atletas dependem, no mínimo de uma semifinal, para disputar a liderança. A sexta colocada Elina Svitolina, que fez quartas no ano passado e tem 430 pontos a defender, e a oitava do ranking Petra Kvitova, que desconta apenas dez pontos.

Números 4 e 5 do ranking, a japonesa Naomi Osaka e a norte-americana Sloane Stephens podem chegar à liderança do ranking alcançando as quartas de final e contando com eliminações precoces de suas principais concorrentes. Osaka defende 240 pontos das oitavas, enquanto Stephens perdeu na estreia no ano passado e defende apenas 10. Já Pliskova e Bertens precisam chegar à final em Melbourne e ainda torcer por outros resultados. A tcheca defende 430 pontos das quartas, enquanto a holandesa parou na terceira rodada em 2018 e tem 130 pontos a descontar.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series