Notícias | Dia a dia | ATP Finals
Zverev adia façanha de Federer e decide o Finals
17/11/2018 às 13h54

Zverev vai em busca de um título inédito neste domingo

Foto: Arquivo

Londres (Inglaterra) - Um duelo de gerações abriu a rodada de semifinais deste sábado no ATP Finals. Vencedor de seis do torneio, Roger Federer buscava sua 11ª final da competição e ficar a uma vitória do sonhado centésimo título na carreira. Mas o alemão Alexander Zverev, de apenas 21 anos, prevaleceu diante do veterano suíço de 37 anos e marcou as parciais de 7/5 e 7/6 (7-5) em 1h34 para se garantir na decisão do torneio entre os melhores da temporada, disputado em quadra dura e coberta em Londres.

Após conseguir sua terceira vitória em seis jogos contra Federer, Zverev se torna o mais jovem finalista da competição desde Juan Martin Del Potro, que foi vice-campeão em 2009 também aos 21 anos. O alemão também é o primeiro representante de seu país na final desde Boris Becker em 1996. Becker também foi último alemão a conquistar o título, no ano anterior em Frankfurt, além de ter vencido em 1988 e 1992. O também alemão Michael Stich triunfou em 1993.

Vencedor de nove títulos de ATP, três deles este ano, Zverev busca o troféu mais importante de sua carreira. Até agora, as maiores conquistas do alemão foram os Masters 1000 de Roma e Montréal do ano passado e de Madri em 2018. Ele agora espera pelo confronto entre Novak Djokovic e Kevin Anderson, que se enfrentam às 18h (de Brasília) deste sábado. Zverev tem uma vitória e duas derrotas contra Djokovic e venceu os quatro jogos que fez contra Anderson.

O resultado também adia para 2019 a busca de Federer pelo centésimo título no circuito. O suíço chegou à sua 99ª conquista de ATP na Basileia e poderia alcançar os três dígitos ainda este ano, mas perdeu nas semifinais de Paris e Londres. Federer ainda tentava o recorde de Arthur Ashe, finalista do torneio aos 35 anos em 1978 e ainda pode ver seu recorde de seis títulos no Finals ser igualado por Djokovic. O último título do suíço no torneio foi em 2011, quando o sérvio tinha apenas uma conquista em 2008. Djokovic venceu quatro edições seguidas entre 2012 e 2015.

Ainda que Federer tenha colocado apenas 55% dos primeiros serviços em quadra no set inicial, o suíço vinha confirmando seus games sem correr muitos riscos. Zverev era ainda mais firme, com 68% de acerto e vencendo 18 dos 21 pontos jogados com primeiro saque. O alemão não enfrentou break points e cedeu apenas sete pontos em seus games de serviço na parcial.

Uma mudança tática de Zverev chamou atenção. O alemão estava indo bem mais à rede, preferencialmente em cima do backhand do suíço. Ao longo do primeiro set, foram 14 tentativas e o jovem de 21 anos venceu metade desses pontos. Quando a disputa já se encaminhava para um tiebreak, três forehands para fora custaram muito caro para Federer, que ainda levou uma excepcional passada do alemão, que conseguiu a única quebra da parcial.

Após dois games muito rápidos, Federer foi o primeiro a quebrar no segundo set. O suíço desperdiçou dois break points com erros não-forçados, mas calibrou o backhand na terceira chance que teve e mandou na paralela para enfim quebrar o saque de Zverev. Entretanto, a vantagem do suíço durou pouco, já que o alemão conseguiu devolver a quebra de imediato. Depois disso, os sacadores não seriam mais ameaçados até o tiebreak da parcial.

O game-desempate foi decidido por margens mínimas e dois pontos foram decisivos. Primeiro, Zverev parou um ponto que era dominado por Federer e o árbitro Carlos Bernardes aplicou a regra do 'let' para mandar voltar a jogada no saque do alemão, depois que um dos boleiros deixou a bola correr no fundo da quadra. Na volta, o germânico encaixou um ace e foi vaiado pelo público. Pouco depois, o suíço errou um voleio fácil e deixou o jovem rival muito próximo da vitória. Federer chegou a salvar o primeiro match point, mas não evitou a eliminação na jogada seguinte. Zverev liderou nos winners por 23 a 13 e cada jogador cometeu 20 erros não-forçados.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series