Notícias | Dia a dia | ATP Finals
Zverev se impressiona com longevidade de Federer
10/11/2018 às 17h59

Zverev vai disputar o Finals pela 2ª vez

Foto: Arquivo

Londres (Inglaterra) - Separados por 16 anos de diferença, o alemão Alexander Zverev e o suíço Roger Federer chegam para este ATP Finals como o mais novo e o mais velho, respectivamente, da competição. Indo para apenas sua segunda participação no torneio, contra 16 do tenista da Basileia, o jovem germânico se mostrou impressionado com a longevidade do atual número 3 do mundo.

“Eu não sei o que vai acontecer comigo quando eu tiver 37 anos, espero ainda estar jogando tênis, mas ninguém é como Roger. O que ele está conseguindo com essa idade é incrível, algo totalmente único. É muito difícil ver alguém com essa idade jogando no nível que Federer está jogando nestes últimos meses”, comentou o alemão de 21 anos.

Apesar de reconhecer o tamanho do suíço e de seus feitos, Zverev não acha que o tênis sofrerá quando Federer parar. “Para o tênis seria ótimo ver Roger, Rafa (Nadal) e Novak (Djokovic) jogando para sempre. Mas isso já aconteceu no passado, quando (Bjorn) Borg e (John) McEnroe se aposentaram, todos pensavam que o tênis seria diferente, mas depois vieram outros grandes jogadores”, falou.

Eliminado na primeira fase em sua estreia no Finals, o alemão espera ir mais longe desta vez. “No ano passado eu tive a oportunidade de estar na semifinal, mas não consegui porque perdi o terceiro jogo contra Jack Sock. Espero que isso não se repita neste ano, até porque agora estou mais experiente, então espero que seja diferente”, comentou o atual número 5 do mundo.

“Meu grupo é bastante difícil, com grandes jogadores como Novak e (Marin) Cilic, que jogam muito bem nesta superfície”, acrescentou Zverev, que estreará na segunda-feira às 12h (horário de Brasília) contra o croata, curiosamente seu adversário na estreia também em 2017, partida em que o alemão se deu melhor e venceu em três sets. Ele lidera o retrospecto geral por 5 a 1.

Questionado sobre a parceria com o tcheco naturalizado norte-americano Ivan Lendl, o jovem tenista mais uma vez pediu paciência, lembrou que o trabalho está ainda apenas no começo. “O grande efeito provavelmente será na próxima temporada, no momento estamos em um tempo de adaptação”, avaliou Zverev.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series