Notícias | Outros
Presidente da CBT prestigia Brasileiro Seniors na Bahia
07/09/2018 às 19h20

Rafael Westrupp, presidente da CBT.

Foto: Suely Barros/Divulgação

Salvador (Bahia) - O Campeonato Brasileiro Seniors, realizado no Costa Verde Tennis Clube, em Salvador (BA), recebeu esta semana a presença de Rafael Westrupp, presidente da Confederação Brasileira de Tênis, que destacou a importância da competição. O Brasileirão Seniors termina neste sábado, com finais a partir de 8h30.

Westrupp, que ficou dois dias em visitas e conversas com atletas e organizadores do evento, destacou a organização da competição. "O clube já conhecia, tem uma estrutura fantástica, mas sobretudo tem pessoas comprometidas com o esporte e isso vale mais do que a própria estrutura em si. Fiquei muito feliz quando conheci o Washington Nilo (diretor do evento) no início do ano, junto com o Duda Catharino, presidente da Federação Baiana, e prontamente me comprometi a estar presente. Quando vemos toda a estrutura montada, o feedback dos jogadores, o número de inscritos que teve incremento de 80%, isso com certeza é fruto de pessoas envolvidas. Crédito ao Nilo, que está totalmente engajado com processo de execução e de operação", apontou o catarinense.

O Campeonato Brasileiro Seniors pelo regulamento é itinerante. A cada temporada muda de cidade. No último ano foi em Aracaju (SE) e a próxima temporada ainda não tem local indefinido. Apesar disso, o Costa Verde Tennis Clube quer manter um grande evento de porte nacional e mundial para 2019. "É nosso objetivo. Começamos com um evento apenas nacional, no ano passado tivemos cerca de 120 inscritos. Este ano, aumentamos bastante a estrutura para receber o Brasileiro e o resultado foi o aumento do número de atletas. Estamos recebendo muitos elogios. Sem dúvida estamos em contato permanente com a CBT para fixar um evento mundial ITF aqui a partir de 2019", afirmou Washington Nilo.

Para Westrupp, a CBT fará esforços para que Salvador (BA) tenha a sede de um ITF. "A impressão é a melhor possível na confiança que novos eventos como esse no próximo ano e depois possam acontecer. O Brasileirão é itinerante pelo regulamento, mas nada impede que esse torneio seja o passaporte para que o próprio clube e a Federação Baiana possam sediar novos eventos e que possamos ter essa composição FBT e CBT para que possam trazer novos torneios para o estado." Westrupp esclareceu que é preciso levar a proposta à Confederação Sul-americana. “É uma luta política CBT, COSAT e ITF. Não será tão fácil pois temos Uruguai, Chile, Argentina são os que mais se apresentam para realizar Seniors. É uma negociação política e tenho que me organizar para buscar trazer mais um torneio ITF para cá."

Westrupp buscará atender reivindicações por melhorias no circuito sênior -  Cerca de 400 tenistas do Brasil participam ativamente do circuito nacional e internacional senior da ITF e da CBT. Um dos padrinhos dos atletas é Amadeu Façanha, de Brasília (DF), que disputa a categoria 60 anos e joga o circuito desde 2002. Atual sexto do mundo, Façanha conversou com Westrupp, destacou a importância de sua vinda à capital baiana. "Temos que destacar a vinda do Rafael Westrupp ao Campeonato Brasileiro. Eu não lembro do último presidente da CBT que veio prestigiar um evento sênior, então essa vinda mostra que ele está disposto a olhar pelo sênior e isso é importantíssimo para nós. Fizemos mais reivindicações sobre ajuste de calendário e parte técnica. O Campeonato Mundial só cai a pontuação no próximo Mundial e não em data de aniversário um ano depois. Na CBT não. Se joguei o Brasileiro em maio do ano passado os pontos caem em maio deste ano e não no próximo Brasileiro. Isso ele já concordou para a gente ficar igual ao que acontece na ITF. Outro assunto abordado foi a promoção de eventos nacionais e internacionais. Realizamos dois eventos em Goiânia e Rio de Janeiro, Grupo 2, e estamos solicitando para virarem Grupo 1 pela qualidade dos eventos. Se isso acontecer teremos cerca de 50 tenistas entre os 10 melhores do mundo em todas as categorias", disse Façanha, que também pediu para que o Costa Verde Tennis Clube seja sede de um evento fixo mundial na próxima temporada.

Westrupp destacou os esforços que a CBT fará para atender os atletas e também dar mais autonomia aos organizadores. "Conversei com o coronel Façanha que me trouxe algumas reivindicações e na semana que vem, teremos uma reunião do colegiado da CBT em São Paulo para chegar a uma linha de consenso. É o primeiro Sêniors que estou vindo; quero ir a mais para ouvir mais pessoas e seguir evoluindo a melhoria. Não ficará 100% de uma hora para outra, mas a parte financeira está ficando mais justa", apontou.

Outro problema constante dos atletas é na questão das inscrições e filiação. Para Westrupp, é importante que o atleta seja filiado à entidade. "Algo que vamos mudar para o ano que vem. Conversei bastante com Jesus Tajra (vice-presidente da CBT). Ele me pediu um modelo diferente da entidade na filiação. Temos duas opções para o ano que vem, ainda nada oficial. Uma delas é o tenista que joga apenas um torneio no ano não pagar anuidade. Geralmente é o cara que joga na cidade dele, convidado do clube, para dar vida ao torneio. Então, isentaríamos ele da anuidade. Só que a partir do segundo torneio, teria que pagar a anuidade pois se criaria um vínculo. A outra opção é o atleta jogar sem pagar a anuidade, mas ele teria que pagar mais caro na inscrição do que quem é filiado. Precisamos achar uma ferramenta sistêmica no site Tenis Integrado para adaptar isso. Queremos deixar o sistema redondo para não ter erros. Uma dessas duas opções vamos seguir o ano que vem”, antecipou o dirigente.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva