Notícias | Outros
Guga lidera tenistas brasileiros contra a MP 841
14/06/2018 às 20h10

Brasília (DF) - Nomes de destaque do tênis brasileiro usaram as redes sociais para marcar sua posição contrária à Medida Provisória n° 841/2018, assinada pelo presidente Michel Temer na última terça-feira. O texto visa redirecionar a arrecadação das loterias federais para o Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP) e, dessa forma, pode retirar parte dos recursos que seriam destinados aos ministérios do Esporte e da Cultura.

Após a publicação da Medida Provisória no Diário Oficial da União quando, o texto vai para análise de uma comissão mista formada por 12 senadores e 12 deputados. Seja com a aprovação ou rejeição da matéria, o parecer é obrigatoriamente encaminhado à apreciação do plenário da Câmara dos Deputados, e posteriormente do Senado Federal. O resultado das votações de qualquer uma das duas casas tem o poder de rejeitar a MP e arquivá-la.

"É uma medida provisória totalmente insensata, que busca resolver o problema da Segurança Pública retirando dinheiro do Esporte e da Cultura. Qual tipo de educação a gente quer promover para nossos jovens? Que formação queremos para o futuro do nosso país?", disse Gustavo Kuerten, em vídeo publicado em suas redes sociais.

"Existem formas bem mais adequada de buscar essa solução e de incentivar a segurança, que é necessária em nosso país", acrescenta o ex-número 1 do mundo e tricampeão de Roland Garros. "Eu sugiro dar uma olhada no próprio umbigo. Quem sabe o fundo partidário, com R$ 2,5 bilhões de verba à disposição? É um ato de desespero, de covardia, e espero que a gente tenha mais carinho e mais cuidados".

Fernando Meligeni, ex-top 30 e semifinalista do Grand Slam parisiense em 1999 também se manifestou. "Quando você acaba com o esporte lá na base, você acaba com o sonho de muita gente, você acaba com educação e com valores", declarou o atual comentarista de tv. "A gente só consegue um país melhor se os nossos jovens foram melhores e o esporte é importantíssimo para isso. Realmente dececpciona e entristece, mas dá para voltar atrás".

Entre os jogadores em atividade que já se manifestaram, destaque para Thiago Monteiro e Beatriz Haddad Maia. O cearense e a paulistana levam em consieração a importância do esporte na transformação social dos jovens.

"A gente sabe da importância de investir em segurança pública, mas posso dizer sem sombra de dúvidas que o esporte pode proporcionar um futuro para toda nossa geração. Com o esporte, com a educação e com a cultura, a gente pode mudar nosso país", disse Bia Haddad Maia. "Estou junto com todos os atletas e todos os artistas que iniciaram essa campanha pela manutenção dos orçamentos no Ministério do Esporte e no Ministério da Cultura", acrescenta a número 1 do Brasil e 102ª do ranking da WTA.

"É óbvio que a segurança é importante, mas eu vejo essa medida um tanto quanto equivocada, visto que está mais do que comprovado que o esporte tem impacto positivo na saúde, na educação e também na segurança pública", disse Monteiro, atual 140º do ranking da ATP. "Acho que a oportunidade de poder praticar um esporte tira muitas crianças das ruas e também gera melhores cidadãos, não só atletas. Então vamos todos lutar contra isso para que o país não retroceda", complementa o jogador de 24 anos.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis