Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Em alta no circuito, Farah dispara contra a ATP
29/05/2018 às 22h19

Cabal e Farah formam a terceira melhor dupla do ano

Foto: Arquivo
Guilherme Costa
Especial para TenisBrasil

Paris (França) - Um dos principais jogadores de duplas da atualidade, o colombiano Robert Farah, que forma com Juan Sebastián Cabal a parceria cabeça de chave número 5 de Roland Garros, fez duras críticas à forma como a ATP trata o circuito. Para ele, que recentemente ganhou seu primeiro Masters 1000, em Roma, a entidade deveria apresentar melhor seus jogadores.

"Se você só vende simples, as pessoas só compram simples. É um trabalho da ATP saber como fazer a promoção das duplas. Mostrar para o mundo quem são os melhores duplistas. É um produto grande que a ATP poderia tirar melhor proveito. Poderiam investir nas duplas. Mostrar quem são os Bryan, Melo e Kubot, Soares e Murray...Se você não mostrar quem são eles, é difícil alguém se identificar com uma dupla e passar a torcer por ela, querer acompanhar", disse.

Segundo Farah, os problemas estão até mesmo nas pequenas coisas, como no site oficial da entidade. "Se você olhar no site da ATP, tem mais de dez fotos de simples e, no máximo, uma de duplas. Nas transmissões, as TVs não passam duplas, só simples. Tem o Tennis Chanel, mas aí é um canal só de tênis, tem espaço para as duplas", afirmou o duplista colombiano.

"Sei que as duplas nunca vão ter a mesma força de simples, porque seria inverter algo de muitos e muitos anos, mas poderia ser um produto melhor trabalhado", complementou Farah, que ao lado de Cabal venceu na estreia de Roland Garros nesta terça-feira. O time passou pela dupla formada pelo bielo-russo Max Mirniy e o austríaco Philipp Oswald por 2 a 0, parciais de 7/6 (7-4) e 7/6 (7-4).

Farah também falou um pouco sobre as condições da quadra após a chuva. "Foi uma partida bem dura, eles tiveram set points no primeiro set. As condições estão diferentes dos últimos meses, fazia tempo que não jogava com chuva, a quadra está muito lenta. Pouco a pouco fomos nos colocando melhor na partida e sentimos que poderíamos melhorar e ganhar a partida".

A dupla, vice-campeã do Aberto da Austrália em janeiro, conquistou seu primeiro Masters 1000 há pouco mais de dez dias, em Roma, e chega confiante na busca de um inédito título de Slam. "Estamos mais confiantes de seguir trabalhando porque está dando resultados. Estamos contentes. Sempre é gratificante ser campeão de um Masters 1000, dá muita confiança, é algo que queria ter, porque estávamos sempre muito perto. Já vi e revi muitas vezes aquele último ponto da final de Roma", finalizou.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series