Notícias | Outros
Brasileiros caem nos 18, mas seguem nos 16.
02/03/2018 às 19h44

Japonês Naoki Tajima, 15º do mundo, eliminou Matheus Alves em jogo duro.

Foto: Gabriel Heusi/ Heusi Action

Porto Alegre (RS) – O Brasil não terá representantes nas semifinais dos 18 anos masculino do 35º Campeonato Internacional Juvenil de Porto Alegre, que acontece na Associação Leopoldina Juvenil, em quadras de saibro. Mateus Alves e João Lucas Reis lutaram, mas perderam suas batalhas nas quartas de final nesta sexta-feira.

No último jogo do dia e o mais emocionante, Mateus Alves, 38º do mundo, caiu diante do japonês Naoki Tajima, 15º colocado, por 6/3, 4/6 e 7/6 (8/6) após três horas de partida. Tajima viu brasileiro abrir 4/2 no terceiro set e depois 5/2 no tiebreak, salvou um match-point e com um saque na linha definiu a partida. "O foco foi o fundamental para poder virar esse jogo", disse Tajima, que vai encarar o segundo favorito, o argentino Sebastian Baez, sexto do mundo, que passou sem sustos pelo romeno Filip Cristian Jianu, por 6/2 6/3. "Baez é muito rápido, ele não erra quase, preciso ser mais agressivo e procurar vir um pouco para a rede", disse o jovem que vive em Tóquio e já havia frustrado os brasileiros, eliminando o brasiliense Gilbert Klier nas oitavas de final. Baez foi campeão do Banana Bowl na semana passada.

O pernambucano João Lucas Reis, 33º do mundo, foi derrotado pelo principal favorito, o colombiano Nicolas Mejía, nº 8 do mundo, por 5/7, 6/3 e 6/2. O brasileiro teve três chances de quebra no começo do segundo set, mas não conseguiu converter e depois o rival deslanchou.

Mejía, que nasceu em Bogotá, se mudou para Cali e hoje vive em Bradeonton, na Flórida, na IMG Academy. Ele vai brigar por vga na decisão com o companheiro de treinos e amigo Nick Hardt, da República Dominicana, que eliminou o argentino terceiro favorito e 10º do mundo, Juan Cerundolo, por 6/2, 4/6 e 6/2. “Muito contente pela vitória de hoje passando para a semifinal. Foi um jogo muito duro contra meu grande amigo Cerundolo”, apontou. “Amanhã estou muito contente de enfrentar meu melhor amigo Nicolas Mejia. Treinamos juntos, então, estou muito contente em nos encontrar e que ganhe o melhor."

O Brasil repete a campanha do ano passado quando teve dois representantes nas quartas que foram eliminados. Nossa última conquista foi com Orlandinho Luz em 2015, campeão também em 2014.

Georgiana quebra invencibilidade de 26 jogos de colombiana

Depois de exatos quatro meses de invencibilidade, quatro títulos, 26 vitórias, chegou ao fim a sequência incrível da colombiana Maria Osorio Serrano nesta sexta-feira na quadra 1 da Leopoldina Juvenil, na fase quartas de final dos 18 feminino. Serrano, que vinha de títulos na Costa Rica, Colômbia, Paraguai e Banana Bowl, em Criciúma, foi derrotada pela georgiana Ana Makatsaria, 70ª do mundo, por 7/6 (7/5) e 6/4 em cerca de duas horas. "Sabia que ela estava cansada, jogando sem parar por duas semanas, sabia que ela ficaria cansada ao longo do jogo, então segurei a bola em quadra para cansá-la ainda mais fazendo-a correr e isso me facilitou", disse a georgiana. Makatsaria cumpre sua terceira semana na América do Sul onde parou nas oitavas tanto em Criciúma quanto em Assunção, no Paraguai. Para Ana, esta vem sendo uma semana especial.

Sua rival por vaga na final será a canadense Leylah Fernandez, nascida no Equador, que derrotou a americana Gabriella Price, 11ª favorita, por 7/6 (7/0) e 6/2. Fernandez já havia batido a terceira favorita, a americana Alexa Noel.

A outra semifinal será disputada entre a francesa Manon Leonard, 90ª colocada, e a dinamarquesa Clara Tauson. Leonard superou a americana Kacey Harvey por 7/5 e 6/4 enquanto que Tauson passou fácil pela americana Lea Ma, quarta favorita, por 6/3 e 6/0. Das 17 americanas na chave feminina, nenhuma alcançou a semifinal.

Final brasileira nos 16 anos masculino

A final da categoria 16 anos masculino será entre dois tenistas do Brasil, o catarinense Pedro Boscardin e o paulista Gustavo Heide. Em duelo nacional na Sogipa, o joinvilense Boscardin, oitavo cabeça-chave, venceu o mineiro Bruno Oliveira, principal favorito, com o placar de 6/4 e 6/2.

"Sabia que precisava bater firme do começo ao fim do jogo e manter a energia positiva. Estou tranquilo para minha primeira final de Cosat do ano. Tenho que manter o foco para tentar levar o troféu para casa novamente, já que venci n ano passado nos 14 anos. Ganhar no Brasil sempre é melhor", destaca o catarinense.

Gustavo Heide, cabeça 9, ganhou do uruguaio Francisco Llanes, sétimo favorito, pelo mesmo placar de 6/4 e 6/2. O paulista disse que começar bem os dois sets foi essencial. "No primeiro set, abri 3x0, depois dei uma vacilada, deixei empatar, mas logo quebrei o saque dele novamente. No segundo set, só mantive e foi mais tranquilo. Aqui é a minha segunda final de Cosat, fui vice-campeão na Colômbia, aqui quero ficar com a taça", afirmou. A final da categoria pode decidir qual brasileiro vai ganhar a vaga da gira europeia.

Tem brasileira também na decisão dos 16 feminino

A gaúcha Isadora Walber Machado, sexta cabeça de chave, venceu a paulista Camila Bossi, quarta favorita, por 6/3 e 6/2 e vai brigar pelo título com a uruguaia Guilhermina Grant. A principal favorita passou pela peruana Daianne Hayashida, terceira pré-classificada, por 6/0 e 7/5. Machado, que é de Carazinho e treina no Clube Comercial, com o técnico André Luz, fez uma grande apresentação e eliminou uma das candidatas ao titulo, que vinha de final no Banana Bowl, em Caxias do Sul, na semana passada.

"Sabia que era uma adversária complicada, mas deu tudo certo. Está sendo uma semana perfeita, é uma emoção muito grande chegar à minha primeira final Cosat. Nas três etapas que joguei este ano, perdi todas nas quartas de final, então, não tenho palavras para tanta alegria. Agora quero mais. Se continuar jogando assim, posso ser campeã," admitiu.

Na categoria 14 anos masculino, o argentino Lautaro Midon, terceiro cabeça-de-chave, desbancou o principal favorito, o paraguaio Adolfo Vallejo, em dois sets, placar de 6/1 6/4 e foi o primeiro a conseguir vaga na final da categoria. Após, o peruano Gonzalo Bueno, segundo pré-classificado, passou pelo colombiano Nicolas Nino, quarto cabeça-de-chave, parciais de 7/5 6/3 e também está na decisão. Pela categoria 14 anos feminina, fazendo sua condição de principal candidata ao titulo, a boliviana Gabriela Flores venceu a paraguaia Leyla Risso, de virada, em um jogo muito complicado, placar de 3/6 7/5 6/4. Sua concorrente pelo troféu será a argentina Solana Sierra. A quinta pré-classificada ganhou da segunda favorita, a colombiana Valeria Carreno, parciais de 6/2 6/3.

Final gaúcha nos 12 anos - Na categoria 12 anos masculino, valendo pontos para o ranking nacional, o titulo ficará no Rio Grande do Sul, já que os gaúchos Thiago Guglieri e Davi Daniel vão reeditar a final do Banana Bowl, semana passada em Caxias do Sul, neste sábado.

Guglieri, do Grêmio Náutico União, de Porto Alegre, ganhou do mineiro Pedro Rodrigues, por duplo 6/2. Já Daniel, de Passo Fundo, filho de Marcos Daniel, sete vezes campeão do evento, venceu o carioca Nicolas Oliveira, placar de 6/0 6/2. Davi foi campeão dos 10 anos no ano passado e tenta título em nova categoria.

Pela categoria feminina, a final será entre a carioca Gabriela Felix e a paulista Olivia Carneiro. Felix venceu a baiana Luana Paiva por 6/2 e 6/4. Já Carneiro ganhou da pernambucana Cecília Costa, em três sets, parciais de 6/2, 6/7 (4/7) e 6/1.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva