Notícias | Dia a dia
Veja quem apostou contra Federer e se deu mal
31/01/2018 às 18h00

O tempo de circuito e o número de títulos não são as duas únicas coisas extensas na carreira do suíço Roger Federer. Profissional desde 1998, o tenista da Basileia coleciona também uma longa lista de quem duvidou de sua capacidade e longevidade, foi dado como acabado ou velho demais várias vezes e até então sempre conseguiu calar os críticos.

Campeão do Australian Open no último domingo, Federer levantou pela sexta vez a taça do torneio e chagou à incrível marca de 20 títulos de Grand Slam, se tornando o primeiro homem a alcançar tal número e ampliando ainda mais o recorde de conquistas deste porte. Atual número 2 do mundo, ele é também o recordista de semanas na liderança do ranking (302).

Aos 36 anos de idade, o suíço passou por mais altos do que baixos na carreira e nestes momentos mais complicados teve seu futuro e condição de campeão questionado, mas tem provado que o tempo não é um oponente e sim um aliado seu. Veja a lista de quem já duvidou de Federer e acabou quebrando a cara:

1- Gastón Gaudio

Logo nos primeiros passos do suíço no circuito já surgiram aqueles que não acreditavam em seu potencial. Um deles é o argentino Gastón Gaudio, que não teve boa impressão quando viu Federer pela primeira vez. "Assisti a um jogo dele em Roma, em 1998 ou 1999, e havia grande expectativa. Quando vi, achei que era um cara muito ruim, não tinha um bom revés e nunca poderia ser número 1", revelou o campeão de Roland Garros 2004 em entrevista ao Clarin. Ele perdeu todos os cinco jogos que fez contra Roger.

2- Bjorn Borg

Federer nem tinha completado 30 anos quando o ícone do tênis sueco Bjorn Borg resolveu duvidar pela primeira vez da longevidade do tenista da Basileia. Bastou uma derrota nas quartas de final de Wimbledon em 2010, diante do tcheco Tomas Berdych, para que fosse sentenciado: "Acho que Roger já está pensando em deixar o tênis, não está mais em forma. Às vezes vejo uma indiferença e acho que não há mais o mesmo comprometimento". Depois disso vieram 'apenas' mais 33 títulos (4 Slam).

3- Mats Wilander

Outro ex-número 1 do mundo sueco também pagou cedo pela dúvida. Um ano após Borg, foi a vez de Mats Wilander questionar o futuro de Federer, que em 2011 voltou a cair nas quartas de final em Wimbledon, agora diante do francês Jo-WIlfried Tsonga. "Federer é um cara que não ganha um Slam há um ano e meio e não voltará a vencer se não mudar sua mentalidade nos jogos. Ele mereceu a derrota porque não é mais um vencedor".

4- Brad Gilbert

Apesar de ser seu Slam de maior sucesso, com oito conquistas, Wimbledon foi responsável por criar dúvidas na cabeça de muita gente a respeito de Federer. Ex-número 4 do mundo e treinador de sucesso no circuito, trabalhando com o compatriota Andre Agassi, o norte-americano Brad Gilbert ficou surpreso com a derrota prematura do suíço na segunda rodada de 2013, contra o ucraniano Sergiy Stakhovski. "Ele se tornou humano", resumiu.

5- Boris Becker

O alemão Boris Becker engrossou o coro dos pessimistas depois da surpreendente derrota de Federer para Stakhovski e foi mais um ex-número 1 do mundo a não apostar na capacidade do tenista da Basileia dar a volta por cima. "Este é definitivamente o fim de uma era", sentenciou o germânico, que depois de quatro anos viu Federer voltar a erguer a taça de campeão na grama do All England Club.

6- John McEnroe

Embora hoje em dia ele não duvide mais de Federer, o norte-americano John McEnroe já teve seus dias de questionamento a respeito do futuro. Depois de uma dura derrota para o espanhol Tommy Robredo em sets diretos nas oitavas de final do US Open de 2013 o ex-líder do ranking decretou: "Roger diminuiu sua velocidade, ele nunca mais vencerá um título de Slam".

McEnroe também errou feio uma previsão feita antes do Australian Open de 2014, desacreditando de Federer, que passou em branco no ano anterior e não venceu nada. "Federer não tem condições de competir fisicamente com esses jogadores mais jovens e mais obstinados do que ele", afirmou o norte-americano, que após tal afirmação viu o suíço levantar 19 taças, três delas de Grand Slam.

7- Jim Courier

Responsável por boas e espirituosas entrevistas com o suíço na campanha vitoriosa deste último Australian Open, o norte-americano Jim Courier também saiu pessimista com a derrota de Federer para Robredo no US Open. "A aura de invencibilidade de Federer está cada vez menor", afirmou.

8- Martina Navratilova

Errar previsões a respeito do futuro de Federer não foi primazia masculina. Ex-número 1 do mundo, a tcheca naturalizada norte-americana Martina Navratilova se juntou à célebre lista em março de 2011, quando duvidou da possibilidade do suíço voltar a liderar o ranking. "Não consigo imaginar que ele possa se tornar o número 1 outra vez", disse. Assim como os demais, ela errou e viu o tenista da Basileia voltar ao topo em julho de 2012, podendo atingir a ponta da ATP mais uma vez neste ano. 

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis